MAIS OBRAS

MAIS OBRAS

Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Empresário Eleomar Lobo fala pela primeira vez sobre o incidente ocorrido e relata a verdade dos fatos

Eleomar Lobo, faz esclarecimentos e
pede desculpas pelos transtornos

Após o incidente ocorrido no dia 20 de novembro, envolvendo o empresário Eleomar e sua família, muitos comentários percorreram a cidade de Coelho Neto, via redes sociais, que apresentaram a notícia de maneira distorcida.


O empresário Eleomar tem 38 anos, possui 2 irmãs e é filho de dona Iranir dos Reis Lobo e Antônio Pereira de Sousa. É caxiense e tem 32 anos morando em Coelho Neto. É um comerciante bastante conhecido no meio político e mantém um bom relacionamento com seus clientes, tendo uma boa convivência com seus amigos e parentes. 

Os boatos que se alastraram por toda a cidade foram totalmente de caráter nocivo, com o objetivo exclusivo de prejudicá-lo, haja visto que estava ébrio e não respondia totalmente pelos seus atos.


COMO SE DEU O OCORRIDO


Eleomar havia bebido e chegou na casa de sua mãe pedindo para sua irmã Márcia colocar uma música no aparelho de som e ela recusou. Eliomar então se alterou e começou a proferir palavrões a mesma, que não reagiu.

Inconformado com o descaso ao pedido feito a irmã e por não estar em seu estado normal, Eleomar retira a arma da cintura e dispara para “CIMA” sem a menor intenção de atingi-la.

Eleomar não agrediu fisicamente nenhum de seus familiares, porém cometeu o erro de ter disparado sua arma como afirma o relato policial. 

A VERSÃO DE ELEOMAR

"Tenho muitos amigos, que inclusive me ajudaram e estiveram juntos a mim, se solidarizando e me dando forças, pois criaram uma mal imagem de mim, embora saiba que não agi corretamente. Gosto muito de minha família". 

"A minha irmã Márcia Lobo, em seu depoimento na delegacia confirmou minha versão. A própria afirmou que eu atirei para cima e não nela. Eu jamais atiraria em minha irmã, por maior que fosse meu estado de embriaguez, pois é o meu próprio sangue".

"O que muito me entristeceu foi o fato de quererem me apresentar como um malfeitor ou algo desse aspecto e a maior evidência disso foi quando disseram que usei uma machadinha que sempre ficava sobre a tampa de um poço para o uso exclusivo de minha mãe. Eu nem me aproximei da mesma, simplesmente a polícia chegou e levou..." 

"Mas a minha maior intenção ao fazer uso desse veículo de comunicação não é me justificar e sim reconhecer o meu erro e pedir desculpas a classe: empresarial, política, meus clientes, aos amigos e principalmente a minha família, afirmando com fé no soberano Deus, que esse episódio jamais se repetirá".

A todos minhas sinceras desculpas,
Eleomar Lobo


Um comentário:

  1. Amigo Eleomar, o verdadeiro homem de bem não é aquele que nunca errou, mas o que errando, reconhece o seu erro e esforça-se para não se tornar reincidente.

    ResponderExcluir