Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Hoje 24 acontecerá o Lava Pratos em Afonso Cunha

Expectativa e contagem regressiva para a festa tradicional do lava pratos de Afonso Cunha. Com uma programação cultural, organizada pela atitude independente que conta com o apoio do deputado Marcos Caldas, do ex-ministro Gastão Vieira, vereador Francisco capitula e empresário Floriano. 

A folia momesca no município afonsocunhense acontecerá na noite de hoje, sábado (24), no circuito localizado ao lado da Prainha na rua Zilmar Bacelar, Sede da cidade. 

A programação oficial conta com apresentações das bandas Chibata Quente, Farra do Novinho, Forró do Malla e da banda local Forró Record, entre blocos organizados do município e de outras cidades, dentre outros. 

A segurança dos espaço oficiai da folia, será reforçada por homens da polícia militar. 


Organização: 
Fabio Chaves e Portal Leste Maranhense



Delegada Nilmar da Gama assume comando da Seic no Maranhão

O secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela, empossou nesta sexta-feira (23) a delegada Nilmar da Gama como nova superintendente de Investigações Criminais (Seic) da Polícia Civil.

A posse foi realizada na sede da Seic, no Bairro de Fátima, em São Luís, onde a delegada já participou da reunião de continuidade das operações de combate ao crime organizado e à corrupção.

“A delegada Nilmar assume a Seic em substituição ao antigo titular, que foi exonerado no Diário Oficial de ontem (22). Ela vai continuar com os serviços dessa importante unidade da Polícia Civil”, disse o secretário Portela.

“A delegada Nilmar é uma profissional respeitada pela sociedade, que tem uma larga experiência na polícia judiciária e agora vai comandar a Seic para fazer o serviço continuado em todo o Maranhão”, completou.

A delegada Nilmar da Gama comandou outras delegacias e superintendências do Estado, como as de Homicídios, Superintendência da capital, Roubos e Furtos, Interior, entre outros. 

Ela afirmou que dará continuidade aos trabalhos de investigações realizados na Seic.

“Nós vamos continuar com o trabalho de investigações, fico muito contente de poder fazer parte desse trabalho, até porque sempre fui apaixonada por investigação”, comentou a delegada.

Investigações

O delegado Thiago Bardal, citado nas investigações, foi exonerado no Diário Oficial dessa quinta-feira (22). O pedido de prisão preventiva já foi feito pela polícia, que aguarda decisão judicial.


sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

TV CHAPA BRANCA TENTA ILUDIR TELESPECTADORES COM DESAFIO RIDÍCULO, PARA NÃO MOSTRAR OS PROBLEMAS QUE AFLIGEM A POPULAÇÃO DE COELHO NETO

Parece que o senso de ridículo anda bem longe da TV CHAPA BRANCA (aquela que diz representar legalmente o sinal da TV Difusora/SBT). 

É tanta falta de assunto para se falar na TV, que resolveram inventar um jogo/desafio em que o telespectador participa e tenta "adivinhar" qual o valor em moedas dentro de um cofre e maleta de acrílico, caso acerte ganha um prêmio de 100 reais...é lógico que ninguém conseguirá tal proeza, embora o apresentador diz dar as "dicas" que teria um valor entre 480 a 520 reais. Houve até o caso de uma telespectadora que ligou e tentou adivinhar o valor, porém como errou, foi colocado um áudio de jumento relinchando, ou seja chamaram a pobre telespectadora de burra (aliás isso dá um tremendo processo judicial por difamação, pior ainda em canal de TV, sugerimos que a ofendida procure seus direitos). 

O fato é que a TV CHAPA BRANCA desperdiça tempo e dinheiro público (sim a prefeitura financia esse canal de TV) nessas baboseiras televisivas.

Sugerimos que esse canal saia às ruas e vejam "in loco" a situação das pessoas, filmem as casas caindo por causas das fortes chuvas, filmem de perto a situação de várias doentes, os momentos de caos nos horários de pico na UPA, filmem as inundações e as imensas crateras nas ruas e avenidas com as fortes chuvas, que poderiam ter sido consertadas ainda no verão, filmem um mercado público abandonado em pleno centro da cidade, as obras recém reformadas e que já precisam de reformas, a situação de vários contratados desempregados, usados como objeto qualquer e depois descartados, filmem a quantidade imensa de trabalhadores pais de família que se obrigam a sair de casa à procura de emprego em outros estados, ou seja a continuação dos casos das "mulheres viúvas de maridos vivos" tão combatidas pelo hoje Prefeito Américo, que antes detonava e culpava a gestão anterior pelo enorme "êxodo de Coelhonetenses", e agora a culpa é de quem?

Basta dá uma volta na cidade, que assunto sobre os problemas da cidade não vai faltar paras as matérias da TV CHAPA BRANCA. Basta entrevistar as pessoas para ouvirem suas sinceras opiniões.

Fazer um desafio ridículo de quem acerta quanto dinheiro tem numa maleta é debochar da cara da população sofrida, abandonada e cada vez mais desiludida com uma gestão amarga e cruel, a qual um dia acreditaram que poderia ser um Novo Tempo, uma Nova Era de boas realizações para a cidade...pena que isso é apenas uma utopia!

Ainda bem que já estão avançados os planejamentos para em breve colocarem no ar TV e Rádio, que com certeza irão mostrar a verdadeira situação da cidade de Coelho Neto.

Já era previsto: Deputado Zé Carlos do PT, prega aos aliados rompimento com o governador Flávio Dino

Deputado Zé Carlos, Governador Flávio Dino e aliados petistas
Em mensagem de áudio mandada a militantes do Partido dos Trabalhadores (PT), o deputado federal Zé Carlos (foto) prega o rompimento dos petistas maranhenses com o governo de Flávio Dino (PCdoB), que, segundo ele, não vem dando à legenda o devido reconhecimento que ela merece. De acordo com o parlamentar, por ter nas suas contas o PT como um “peixe pescado”, o governador ignora a força do partido e está negociando apenas com outras legendas.

Na gravação, Zé Carlos lembra que o governador em nenhum momento sequer se dispôs a debater a possibilidade de uma candidatura de Márcio Jardim (seu ex-secretário de Esporte e Lazer) ao Senado, mas já definiu o deputado Weverton Rocha (PDT) como primeiro nome e sinaliza que o segundo pode ser a deputada Eliziane Gama (PPS), o deputado e ex-governador José Reinaldo (sem partido) e o deputado Waldir Maranhão (Avante). Há ainda quem aposte que será uma pessoa ainda não colocada na mesa dos debates.

Para o parlamentar, é incompreensível como o governador não leva a sério a força que o PT tem para lhe proporcionar tempo de rádio e televisão, militância e a agregação do seu nome à candidatura do ex-presidente Lula, que lidera as intenções de voto.

O PT, mesmo oficialmente coligado com o PMDB em 2014, trabalhou pela eleição de Flávio Dino ignorando o seu adversário, Lobão Filho.

Zé Carlos acha inconcebível os petistas sejam convidados apenas para coadjuvantes do projeto de reeleição de Flávio Dino, enquanto este ignora que o partido pode oferecer nomes para a vice-governadoria e ao Senado, mas ao que tudo indica não haverá vaga para a legenda na chapa do governador.

Diante disso, Zé Carlos prega que os militantes devem iniciar urgentemente uma alternativa para eleição deste ano, com lançamento de candidatura própria ao Governo, mencionando Raimundo Monteiro como um bom nome. Para ele, esse debate (até porque “todas as tentativas de entendimento foram esgotadas”) não pode mais demorar e o PT deve buscar seus próprios caminhos e não ficar sendo apenas tendo boa convivência com o governo.

Por Aquiles Emir

ONDE ESTÁ O BUSTO EM HOMENAGEM À DUQUE BACELAR EM COELHO NETO?

O tempo passou, aliás muito tempo, desde que o busto em homenagem à Duque Bacelar, foi vandalizado e roubado da praça que leva o mesmo nome em Coelho Neto, depois encontrado e recuperado pela Polícia.

Até hoje não se sabe onde de fato está o monumento, e porque o mesmo não está de volta à praça central da cidade. Claro que não apoiamos vandalismo de monumentos públicos e seus autores sim deveriam ser punidos, más o tempo passou e até hoje, o suporte está vazio sem o busto de Duque Bacelar. 

Duque Bacelar tem importante significado histórico para a cidade de Coelho Neto, póis junto com sua família, contribuiu com o desenvolvimento do munícipio no passado e deixou um imenso legado na região, seu nome é respeitado e lembrado até os dias de hoje, inclusive dá nome a uma importante cidade da região...fica a pergunta, o que fizeram com o busto de Duque Bacelar???

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Palestrantes de renome dão a tônica do Encontro Pedagógico em Duque Bacelar

Secretária de Educação Dra Lúcia Oliveira, Prefeito Jorge Oliveira com os palestrantes Dra Regina Cabral e Dr Rossano Klinjey

Mais um marco em favor da Educação. Assim podemos definir a realização do 2º Encontro Pedagógico promovido pela Prefeitura de Duque Bacelar através da Secretaria de Educação.
Auditório lotado para as palestras do 2º Encontro Pedagógico
O evento que está sendo realizado na Escola Municipal Miguel Duarte Castelo Branco esse ano tem como tema Educação de Qualidade: Resultado para todos.

A abertura oficial realizada na última terça (20), reuniu todos os professores, coordenadores e diretores na participação das oficinas do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa – PNAIC, sob a orientação dos coordenadores Fabiana Linhares, Júnior Passos, Ana Machado e Rosa Castro.
Professores durante oficinas do PNAIC
De acordo com a secretária de Educação Dra Lúcia Oliveira, as oficinas foram bastante produtivas e serviram para reforçar o compromisso dos professores em continuar contribuindo com a proposta arrojada para a educação que vem sendo executada pelo atual governo desde o ano passado.
Secretária de Educação Dra Lúcia Oliveira fazendo uso da palavra

Momento Solene

O evento solene realizado na última quarta (21), teve a tônica marcada pela presença de palestrantes de renome nacional e internacional.
Palestra do Dr Rossano Klinjey
O evento reuniu todos os profissionais de educação da cidade num evento que contou com a presença de diversas autoridades dentre as quais o prefeito Jorge Oliveira, vice-prefeito Carreta Silveira, o presidente da Câmara José Ocean e os vereadores José de Deus e Valter Marques, os secretários Kamilla Santana (Saúde), Bené France (Administração), José Bacelar (Adjunto da Educação), Jales Moura (Chefe de Gabinete), Paulo (Assessoria Jurídica) e Rogério Borges (Esporte).
Mesa de Autoridades
Ao fazer uso da palavra o prefeito Jorge Oliveira (PCdoB) pediu a todos os professores que se empenhassem cada vez mais na missão grandiosa de ensinar e que combatessem a politicagem que na maioria das vezes interfere no fazer pedagógico. Reafirmou seu compromisso de junto com a secretária de educação e sua equipe revolucionar a educação de sua terra natal.
Prefeito Jorge Oliveira discursando aos presentes
O evento foi premiado com a presença de dois consagrados estudiosos: a Dra Maria Regina Martins Cabral (Doutora em Educação pela USP e Universidade de Sevilha na Espanha, última vencedora do prêmio Mais IDH com a palestra Do passado ao futuro – que educação queremos) e o Dr Rossano Klinjey (Palestrante e escritor. Psicólogo clínico, Mestre em Saúde Coletiva e doutor em Psicanálise).
Palestra da Dra Regina Cabral
O evento segue durante toda esta quinta (22), com planejamento de todos os níveis de ensino com encerramento marcado para esta sexta (23), com uma capacitação para os professores da educação infantil.


Da Assessoria

PALHAÇO BRANCO VENDE PEQUI PARA SOBREVIVER, DEPOIS DE TER SIDO DEMITIDO A MANDO DO PREFEITO AMÉRICO NA TV CHAPA BRANCA

Se enganou quem acreditou no apresentador da TV CHAPA BRANCA que disse que o palhaço Branco estava de "férias". 

O que o nobre apresentador escondeu dos telespectadores, é que o humilde pai de família, foi mesmo DEMITIDO a mando do Prefeito Américo e de seus subordinados, tudo porque Branco estaria participando dos protestos do feirão do Brás em Dezembro do ano passado...o palhaço Branco se defende e diz que jamais participou de protesto algum e que apenas estava observando a movimentação daquele dia , que entrou para a história da cidade de Coelho Neto, um dia de confusões, protestos, vandalismos e tantas coisas terríveis que aconteceram...Branco afirma que foi vítima de fofoca do que ele chama de puxa sacos do prefeito Américo. 

O fato é que o palhaço Branco não está mais na TV CHAPA BRANCA, foi visto pelas ruas vendendo piqui, uma fruta do cerrado que está na época de ser colhida, pra ajudar na renda familiar.

Branco e tantos outros profissionais, como o Policial Albino (recentemente transferido para Açailandia), se juntam a um imenso "clube dos perseguidos" do Governo Américo, governo que persegue e maltrata quem não concorda com suas atitudes nefastas e inescrupulosas, fazendo uma verdadeira palhaçada na administração pública municipal. 

Eleições 2018: Os pré-candidatos à Presidência e quais dificuldades têm de superar até a campanha

BBC – À medida que as eleições de 7 outubro se aproximam, o número de pré-candidatos à Presidência aumenta – já são ao menos 19 nomes. Apesar de as projeções indicarem uma disputa com muitos candidatos, o cenário está, até o momento, tão aberto que dificulta até mesmo antecipar quais deles de fato estarão nas urnas.

No entanto, todos os que aparecem nas pesquisas de intenção de votos ou que já anunciaram a intenção de disputar o pleito têm importantes obstáculos a superar até o início da campanha, marcada para começar em agosto.

Pendências na Justiça, disputas partidárias internas, tempo escasso de propaganda no rádio e na televisão, alta rejeição ou falta de popularidade e impedimento para participar de debates são alguns dos desafios que os postulantes à Presidência e seus respectivos partidos precisam driblar.

As legendas trabalham com prazos cada vez mais curtos para atrair políticos, firmar alianças e lançar seus candidatos na tentativa de aumentar suas chances eleitorais.

Uma mudança na legislação em 2015 reduziu de um ano para seis meses o prazo para filiação partidária de quem quer disputar a eleição. Isso significa que quem pretende concorrer deve se filiar a um partido político até o dia 7 de abril. O registro das candidaturas, por sua vez, deve ser feito até 15 de agosto.

Do total do tempo de propaganda, 90% são distribuídos proporcionalmente ao número de deputados federais eleitos por cada legenda em 2014 e o restante será distribuído igualitariamente.

Para participar de debates na TV, por sua vez, o candidato precisa estar filiado a um partido com mais de cinco congressistas. Por isso, muitas bancadas apostam na janela de 30 dias que será aberta em março para a troca de legenda de políticos que queiram se candidatar sem o risco da perda do mandato em curso.

A BBC Brasil listou obstáculos dos principais pré-candidatos e partidos que já anunciaram a intenção de lançar um nome à Presidência da República. Confira:

Lula (PT)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva lidera os cenários para a eleição presidencial em 2018, mas pode ser impedido de disputar a eleição, uma vez que a segunda instância da Justiça federal manteve por unanimidade sua condenação por corrupção. Assim, a candidatura do petista pode ser barrada pela Lei da Ficha Limpa.

Além de ter sido condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF-4), que aumentou a sentença de 9 anos e seis meses para 12 anos e 1 mês, Lula pode também ser preso – ainda que a prisão após condenação em segunda instância seja um tema cuja discussão tem dividido os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Se concorrer, Lula pode usar a campanha como estratégia de defesa das acusações que pesam contra ele. A defesa de Lula, que tenta reverter a condenação sob o argumento de que o ex-presidente é inocente que não há provas contra ele, traça estratégias jurídicas para mantê-lo na disputa por meio de diferentes recursos e pedidos de liminares.

Até o momento, o ex-presidente possui apenas uma condenação, mas ele é réu em outras seis ações penais, sob acusação de crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e obstrução de Justiça.

Além das pendências judiciais, Lula também tem rejeição alta – segundo pesquisa Datafolha realizada entre 29 e 30 de novembro, 39% disseram não votar nele de jeito nenhum. Na frente dele estava somente o presidente Michel Temer, com 71%. Na pesquisa de janeiro, Temer e o ex-presidente Fernando Collor de Mello apresentaram rejeição maior que Lula frente ao eleitorado.

Ainda assim, muitos integrantes da cúpula do PT veem em Lula a única opção para a disputa presidencial. Um plano B seria o ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, que já declarou ser uma “grande deselegância com Lula” se colocar como opção do partido para 2018. Outro nome cogitado pelo partido é o ex-ministro e ex-governador da Bahia Jaques Wagner.

O PT enfrenta dificuldades para se coligar e deve participar das eleições sem partidos aliados. O PCdoB, um dos mais fiéis aliados dos petistas, por exemplo, anunciou que pretende disputar a eleição com a deputada estadual gaúcha Manuela D’Ávila.

Lula nasceu em Pernambuco, mas construiu sua carreira política em São Paulo, incialmente como sindicalista.

Em 1986, foi eleito deputado federal por São Paulo para participar da Assembleia Nacional Constituinte. Foi eleito presidente em 2003, depois de ter disputado as presidenciais outras três vezes. Comandou o Brasil por dois mandatos e elegeu a sucessora, Dilma Rousseff, em 2010.

Jair Bolsonaro

Segundo colocado nas pesquisas de intenção de votos, o deputado federal Jair Bolsonaro ainda precisa trocar de partido para participar da presidencial – ou disputar a vaga do PSC na disputa com Paulo Rabello de Castro, lançado candidato pela legenda em novembro.

Bolsonaro chegou a assinar a ficha de filiação do PEN (Partido Ecológico Nacional), que espera a homologação da Justiça Eleitoral para mudar o nome para Patriota – mudança feita a pedido do pré-candidato. Mas, em seguida, anunciou sua intenção de se filiar ao PSL (Partido Social Liberal) para concorrer à Presidência da República.

Mas tanto o PEN quanto o PSL têm apenas três congressistas atualmente. Assim, Bolsonaro teria direito a participar de debates somente se ele e o filho Eduardo, que também é deputado federal, se filiassem a uma das duas legendas.

Recursos de campanha também são vistos como um desafio para a campanha de Bolsonaro. Os apoiadores do pré-candidato apostam na divulgação do número de uma conta para arrecadar doações na internet. O Tribunal Superior Eleitoral autorizou o uso de “vaquinha virtual” nessa eleição para arrecadar recursos de pessoas físicas – a doação de empresas permanece proibida.

Bolsonaro enfrenta ainda o desafio de fazer campanha com pouco tempo de propaganda oficial no rádio e na televisão.

O PSL, por exemplo, elegeu apenas dois deputados em 2014. O cálculo sobre o tempo de TV na eleição presidencial dependerá de quantos candidatos vão concorrer e com que coligações, mas, pelas regras atuais, é improvável que o partido tenha mais que 15 segundos de cada bloco de 12 minutos e meio de propaganda (serão seis blocos por semana, durante 35 dias de campanha).

Bolsonaro tentaria contornar essa limitação usando redes sociais e contando com a produção espontânea de conteúdo de simpatizantes. O pré-candidato também vai precisar ainda mostrar a uma parcela do eleitorado que não é agressivo nem radical e que domina diferentes temas.

Militar da reserva e professor de educação física, Bolsonaro é deputado federal desde 1991 – tem sete mandatos por cinco partidos diferentes.

Geraldo Alckmin

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, assumiu em dezembro a presidência do PSDB para tentar apaziguar o partido, que se dividiu entre ficar ou sair da base do governo Temer.

Alckmin, contudo, não é o único nome tucano para a eleição presidencial. O ex-senador e atual prefeito de Manaus Arthur Virgílio pressiona o PSDB para participar de prévias com o paulista. Além disso, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem mantido conversas com outros possíveis nomes.

O prefeito de São Paulo, João Doria, ainda tenta se viabilizar dentro do PSDB. Mas muitos tucanos acreditam que ele “queimou a largada” ao fazer um giro pelo Brasil na tentativa de aumentar sua popularidade – ele ainda é considerado desconhecido no país e não conseguiu alavancar seu nome nas pesquisas.

Além das disputas internas, Alckmin assumiu um PSDB desgastado pelas denúncias de corrupção contra integrantes do partido, em especial as que pesam contra o senador Aécio Neves, que disputou as eleições presidenciais em 2014. Alckmin também foi acusado de receber R$ 10 milhões em quantias não declaradas da Odebrecht, o que nega.

O governador também não sabe se e quando contará com o apoio do DEM, aliado de fiel de eleições anteriores. Coligada, a chapa PSDB-DEM teria, por exemplo, mais tempo de propaganda.

Alckmin já disputou as eleições presidenciais em 2006, quando perdeu para Lula no segundo turno.

Formado em Medicina, começou a carreira política como vereador e, depois, foi prefeito de Pindamonhangaba (SP), sua cidade natal. Em 1994, foi eleito vice-governador de São Paulo e acabou assumindo o governo com o agravamento da saúde de Mário Covas em 2001. Perdeu a disputa pela prefeitura de São Paulo em 2008, mas voltou como governador em 2010 e foi reeleito em 2014.

Marina Silva (Rede)

Com duas eleições presidenciais no currículo, Marina Silva lançou oficialmente a candidatura em 2 de dezembro. A ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente, contudo, deve ter somente 12 segundos de propaganda, e dificilmente a Rede vai se coligar com outros partidos para aumentar o tempo na televisão e no rádio.

Mas como a Rede, atualmente, conta com quatro deputados federais e um senador, Marina vai poder participar dos debates.

Marina enfrenta uma rejeição de 24%, segundo o Datafolha de novembro. Vai precisar também responder a críticas de ser omissa em momentos em que muitos aguardavam um posicionamento ou opiniões firmes sobre temas centrais ou disputas políticas e de ter declarado voto a Aécio Neves no segundo turno das eleições de 2014.

Avessa a embates e a ataques, a própria candidata avalia que será uma campanha extremamente agressiva.

Marina disputou as duas últimas eleições presidenciais, uma pelo PV e outra pelo PSB. Ela começou a carreira política no PT.

Ciro Gomes (PDT)

A candidatura do ex-ministro e ex-governador do Ceará é considerada “irreversível” pelo presidente do PDT, Carlos Lupi. À BBC Brasil, Lupi disse que o partido marcou para 8 de março um evento para confirmar o nome de Ciro como pré-candidato à Presidência.

A falta de aliados para fortalecer a candidatura numa coligação formal é um obstáculo a ser enfrentado. O PDT negocia alianças com o PSB e o PCdoB. “São conversas que ainda estão em construção”, diz Lupi.

O estilo franco e impulsivo que há anos rende a Ciro a fama de “destemperado” pode ser um empecilho. “Todo mundo já teve uma palavra mal dita ou foi mal interpretado”, pondera Lupi.

Ciro enfrenta uma rejeição de cerca de 22% do eleitorado, que, segundo o Datafolha de novembro, diz não votar nele de jeito nenhum, e não decolou. A depender do cenário ele tem de 6% a 10% das intenções de voto.

Ciro Gomes já foi prefeito de Fortaleza, deputado estadual, deputado federal, governador do Ceará e ministro dos governos Itamar Franco (Fazenda) e Lula (Integração Nacional).

Ele já passou por sete partidos em 37 anos de vida pública. Ciro já concorreu à Presidência duas vezes, em 1998 e em 2002.

Manuela D’Ávila (PCdoB)

Ao anunciar a ex-deputada federal e atual deputada estadual no Rio Grande do Sul como pré-candidata, o PCdoB praticamente acabou com a possibilidade de o partido ser vice numa eventual chapa encabeçada por Lula.

Ao perderem o aliado, petistas classificaram a decisão do PCdoB como “erro histórico”.

Manuela, de 36 anos, terá cerca de 20 segundos do tempo de propaganda e poderá participar de debates. Apesar de ter sido deputada federal por dois mandatos e líder do PCdoB da Câmara, Manuela não é um nome conhecido em todo o país. Conforme apontou o Datafolha de novembro, ela é conhecida por 24% do eleitorado.

Entre os obstáculos, provavelmente, também estará a dificuldade de desassociar a imagem do partido à do PT – em especial porque o PCdoB foi contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff e muitos de seus filiados defendem Lula das acusações que pesam contra ele na Justiça.

Manuela é jornalista de formação e foi a vereadora mais jovem da história de Porto Alegre, eleita aos 23 anos. Em 2006, foi para a Câmara dos Deputados, onde ficou por dois mandatos. Concorreu à prefeitura da capital gaúcha duas vezes, sem sucesso. É deputada estadual desde 2014.

Álvaro Dias (Podemos)

O ex-tucano ganhou fama no Senado por ser um ferrenho crítico da gestão petista e integrante ativo de CPIs (Comissões Parlamentares de Inquérito).

No ano passado, ele trocou o Podemos – antigo PTN – pelo Podemos com a expectativa de se lançar candidato, mas ainda enfrenta o desafio de se tornar um nome mais conhecido nacionalmente, capaz de conseguir mais que os 4% de votos sinalizados pelas pesquisas.

Segundo o Datafolha de novembro, o senador é conhecido por 44% dos entrevistados, mas apenas 9% disseram que o conhecem muito bem.

Projeções indicam que ele teria 12 segundos no rádio e na televisão.

Álvaro Dias cursou História e está no quarto mandato consecutivo de senador. Já foi vereador, deputado estadual, deputado federal e governador do Paraná. É de uma tradicional família de políticos do Estado.

João Almoêdo (Novo)

O ex-banqueiro João Amoêdo se afastou da presidência do partido que ele próprio ajudou a criar em 2015 para ser lançado pré-candidato à Presidência. Pelas regras do Novo, candidatos não podem exercer funções partidárias nos últimos 15 meses antes da eleição.

Amoêdo não é um nome que desfruta de popularidade e tem viajado o país para fazer palestras na tentativa de se tornar mais conhecido.

Novato em eleições gerais, o partido de Amoêdo conta com o apoio de profissionais liberais, de economistas que ocuparam cargos importantes no governo de FHC, como Gustavo Franco, e tem entre seus quadros o ex-treinador de vôlei Bernardinho. A legenda ainda tenta atrair tucanos descontentes que estão deixando o partido.

A maioria deles, contudo, é neófita das urnas.

Formado em Engenharia Civil e Administração, Amôedo começou a carreira profissional trabalhando para bancos. Atualmente é sócio do Instituto de Estudos de Política Econômica/Casa das Garças.

PSOL

O PSOL conta com cinco pré-candidatos, sendo que um deles ainda não se filiou ao partido. Guilherme Boulos, do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, é citado pelo deputado federal Chico Alencar (RJ) como um dos possíveis nomes da legenda para disputar a Presidência.

Além deles, o partido conta com os economistas Plínio de Arruda Sampaio Jr e Nildo Ouriques, Hamilton Assis, militante do movimento negro, e Sônia Guajajara, líder indígena.

Para Chico Alencar, é mais fácil o partido se coligar com movimentos da sociedade civil organizada do que com partidos políticos. “Há um descrédito muito grande, as pessoas estão com nojo dos partidos”, diz Alencar.

Além disso, o partido avalia que o grande desafio será cumprir a cláusula de barreira que exige para 2018 1,5% dos votos em nove Estados para que as legendas continuem recebendo fundo partidário e tendo acesso à inserções no rádio e na televisão.

O PSOL terá cerca de 13 segundos de propaganda eleitoral, mas vai conseguir participar dos debates por ter uma bancada com seis deputados.

Paulo Rabello de Castro (PSC)

Recém-filiado ao PSC, o presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, foi lançado candidato em novembro.

Nome desconhecido de grande parte do eleitorado, Rabello de Castro contabiliza apenas 1% nas pesquisas de intenção de voto. Além de incrementar a popularidade do candidato, o PSC pode precisar conter uma migração em massa de sua bancada para outras legendas.

Antes de assumir o BNDES, ele havia sido indicado por Michel Temer para presidir o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Formado em Economia e em Direito, é fundador da primeira empresa brasileira de classificação de riscos de crédito do país.

Henrique Meirelles (PSD)

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, busca o apoio do PMDB de Michel Temer para se viabilizar como candidato. Ele ainda corteja partidos do centrão como PP e PR para uma possível candidatura.

Mas a popularidade de Meirelles ainda é um obstáculo a ser superado. O ministro, apontou o Datafolha, é conhecido por 48% do eleitorado, mas só 9% o conhece muito bem.

Com cerca de 2% nas pesquisas de intenção de votos feita em novembro, ele estabeleceu uma meta de 5% a ser alcançada em março para confirmar ou não sua candidatura.

Para se lançar oficialmente, ele teria que se desincompatibilizar do cargo.

A trajetória profissional de Meirelles está ligada à área financeira internacional. Antes de ser presidente do Banco Central, entre 2003 e 2011, no governo Lula, foi o principal executivo do BankBoston. Antes de assumir a Fazenda, Meirelles atuou por quatro anos como presidente do conselho de administração da J&F Investimentos, holding criada pela família Batista e controladora da JBS.

Fernando Collor de Mello (PTC)

O ex-presidente do Brasil e atual senador por Alagoas, Fernando Collor de Mello (PTC), anunciou em janeiro que é pré-candidato à Presidência da República. Os planos de Collor foram anunciados durante inauguração do diretório regional do PTC em Arapiraca, cidade alagoana distante 130 km de Maceió.

“Tenho uma vantagem em relação a alguns candidatos porque já presidi o país. Meu partido todos conhecem, sabem o modo como eu penso e ajo para atingir os objetivos que a população deseja para a melhoria de sua qualidade de vida”, disse em entrevista à rádio 96 FM, de Arapiraca (AL).

O nome de Collor, contudo, já enfrenta rejeição alta.

Collor está filiado ao PTC desde 2016 e está no segundo mandato como senador. Ele já foi presidente do país entre 1990 e 1992, quando se tornou o primeiro presidente eleito pelo voto popular a sofrer impeachment. Em seu lugar assumiu o então vice, Itamar Franco.

Estão cotados também para participar da disputa os nomes do senador Cristovam Buarque (PPS), que foi candidato presidencial em 2006, do filho do ex-presidente João Goulart, João Vicente Goulart (PPL), e do ex-presidente do STF Joaquim Barbosa (sem partido). Há ainda nomes como Dr. Rey, o dono de clínicas de estética no Brasil e nos EUA, e da jornalista e ex-apresentadora do Fantástico Valéria Monteiro, que anunciaram a intenção de participar da eleição presidencial.

Adelmo Soares recebe lideranças maranhenses para avançar na agricultura familiar do Estado

A secretaria de Estado da Agricultura Familiar- SAF, liderada pelo secretário Adelmo Soares, vem ao longo de três anos sendo protagonista de mudanças na agricultura familiar do Estado, atuando junto aos agricultores e agricultoras familiares no acesso à terra, na garantia do plantio, no auxílio à produção e na comercialização dos produtos.

A primeira comitiva foi do município de São Roberto e contou com a presença do prefeito do município Raimundo Gomes, da primeira dama Cleudimar, do técnico agrícola Lima e da representante da Associação dos moradores do João do Vale Verde Lucinete.

Em seguida a comitiva de Fernando Falcão esteve dialogando com o secretário Adelmo sobre a produção de alimentos nas comunidades indígenas. Participaram da reunião os indígenas da comunidade Aldeia Velha Elinete Canela e Antônio Canela, juntamente com o vereador Marinho do Aníbal e a técnica do Mais IDH Natalice Pereira.

A deputada Estadual Valéria Macedo, juntamente com o Dr. Marco Aurélio também compareceram ao gabinete para viabilizar mais desenvolvimentos na área da agricultura familiar em vários municípios do Estado.

Acesso à água, por meio do Programa Cisternas 1º e 2º Água, e aumento da produção também foram assuntos abordados em reunião com a comitiva de Cachoeira Grande liderada pelo vice-prefeito do município o Manoel e pelo secretário de agricultura Jesus Munis. O município recebeu 90 cisternas destinada para produção e 10 cisternas escolares.

A agenda encerrou com a senhora Socorro, grande liderança cristã do município de Tutóia e contou com a presença do empresário de Caxias Magno Chaves.


quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Ainda sobre o Carnaval!... Comprovado, Américo Olhou.. Olhou... E não teve coragem de discursar

Desprovido da simpatia popular, todo e qualquer político com o mínimo de bom senso, sabe quando está agradando ou não. O prefeito de Coelho Neto, Américo de Sousa (PT), teve que engolir seco o que já havia sido anunciado por esta portal de notícias, sobre sua já conhecida rejeição. 

O “apático prefeito” perdido e sem jeito, ainda não conseguiu se encontrar. Deixando a desejar com sua falta de postura desengonçada, incompatível com o cargo ocupado por ele, nutri desagrados e desafetos. 

O deputado federal, Zé Carlos (PT), por sua vez, depois das últimas recepções dos coelhonetenses a ele, preocupado com sua comprometida reeleição, não deu nem as caras, e reconhece a rejeição de seu pupilo Américo. 

Já era esperado que ele “não discursaria”, mesmo assim a multidão que lotou o corredor estava pronta para lhe recepcionar com vaias, tomates e até ovos, relativos ao descompasso de sua pífia administração. 

Sabendo o que lhe aguardava, não teve coragem de enfrentar a fúria do povo que o esperava para tal ato. 


Tudo indica que de agora por diante será assim, os eventos não terão mais aqueles verborrágicos discursos enfadonhos e proselitistas do prefeito. 


Simplesmente imperdível: Lava Pratos em Afonso Cunha será neste sábado (24)

Expectativa e contagem regressiva para a festa tradicional do lava pratos de Afonso Cunha. Com uma programação cultural, organizada pela atitude independente que conta com o apoio do deputado Marcos Caldas, do ex-ministro Gastão Vieira, vereador Francisco capitula e empresário Floriano. 

A folia momesca no município afonsocunhense acontecerá na noite deste sábado (24), no circuito localizado ao lado da Prainha na rua Zilmar Bacelar, Sede da cidade. 

A programação oficial conta com apresentações das bandas Chibata Quente, Farra do Novinho, Forró do Malla e da banda local Forró Record, entre blocos organizados do município e de outras cidades, dentre outros. 

A segurança dos espaço oficiai da folia, será reforçada por homens da polícia militar. 


Organização: 
Fabio Chaves e Portal Leste Maranhense


Ainda sobre o Carnaval!... Bloco Vermelhão foi quase o maior, e como não seria!? Funcionários públicos foram obrigados a vestir a camisa

O prefeito Américo de Sousa (PT), vem se apresentado melhor que encomenda... Não muito diferente daqueles em que ele criticava, sua máscara vai se desfazendo e já não consegui mais desfaçar a urgência avassaladora de suas reais intenções a frente da prefeitura de Coelho Neto.

A pressão foi grande!... Segundo alguns funcionários públicos, foram obrigados a comporem o “mar vermelho” que que se apresentou no corredor da folia. Abadas do bloco Vermelhão (bloco de criado por Américo), foram distribuídas aos funcionários, e para quem não esteve na distribuição, receberam a domicílio... A imposição era obrigatoriamente estivesse fazendo volume no bloco a qualquer custo. 

A ordem do “poderoso e arrogante chefão” era que todos teriam que estarem na data e hora marcada na concentração ocorrida em frente à rádio Cidade Livre. Com direito a olheiros para registrarem a presença ou ausência dos subordinados... 

Parece até piada, mas fica a pergunta: 

Qual a mudança que Américo está fazendo em Coelho Neto, se até nas pequenas coisas ele se comporta igual aos outros? 

Diga-me se souber?


Além do Viva/Procon, Governo entrega patrulha agrícola em Colinas

O Governo do Maranhão segue trabalhando para melhorar a vida das pessoas. Na manhã desta terça-feira (20) o vice-governador do Estado Carlos Brandão esteve junto ao secretário de Estado da Agricultura Familiar Adelmo Soares, no município de Colinas, para a realização de diversas atividades que beneficiarão quem mais precisa. Além da inauguração de um Viva/Procon na cidade, foi entregue patrulha agrícola que beneficiará os agricultores e agricultoras familiares do Povoado Maravilha, na Zona Rural do Município.


A patrulha é composta por um trator agrícola, uma carreta, uma roçadeira e uma grade aradora permitindo que os trabalhadores e trabalhadoras rurais locais tenham possibilidade de aumentar sua produção e assim possam gerar renda para a comunidade onde residem. 

"São ações como essa que reforçam o compromisso do governador Flávio Dino com as pessoas que mais precisam. Agora quem mora na comunidade pode dinamizar sua produtividade e assim melhorar sua qualidade de vida e também de sua família", afirmou Adelmo Soares.

Viva/Procon

Também foi inaugurada a nova unidade do Viva/Procon, que funciona na cidade desde janeiro, já foram realizados 1.874 atendimentos. Entre os serviços oferecidos, a emissão dos documentos como RG (1ª e 2ª via) e atestado de Antecedentes Criminais; disponibilização de atividades pela Internet (no balcão); inscrição de Cadastro de Pessoa Física (CPF); e serviços da Junta Comercial do Maranhão (Jucema). A unidade tem capacidade para realizar mais de 120 atendimentos diários, com salas de recepção e horário de atendimento. De segunda a sexta-feira, das 7h às 17h.


Deputado Fábio Braga presta homenagem ao escritor Benedito Buzar

Aniversário de 80 anos de Benedito Buzar.
Em pronunciamento feito na sessão desta terça-feira, 20, o deputado Fábio Braga (SD), registrou a sua presença no último sábado, 18, à cidade de Itapecuru-Mirim onde foram feitas homenagens ao presidente da Academia Maranhense de Letras Benedito Buzar pela passagem dos seus 80 anos de vida.

As festividades contaram também com as presenças de membros da comunidade, representantes das Academias de Letras do Estado, dos Municípios de Itapecuru, de Arari e de Vitória do Mearim e de vários políticos daquela região. “Eu também quero deixar a minha homenagem ao Benedito Buzar pela passagem dos seus oitenta anos de vida”, disse Fábio Braga, pedindo que seja transcrito nos Anais da Assembleia Legislativa o artigo feito pelo seu conterrâneo, o procurador federal Georgino Melo e Silva, em homenagem a Benedito Buzar.

Da tribuna, Fábio Braga leu o texto que sintetiza a homenagem a Benedito Buzar que é bacharel em Direito, jornalista, escritor, professor e pesquisador. Foi professor titular de Ciências Políticas da Universidade Estadual do Maranhão, deputado estadual, secretário de Estado e da Prefeitura de São Luís e também presidente da MARATUR, dentre outras atribuições.

Deputado Fábio Braga na Tribuna da Assembleia.
“Costumo-me reunir com Dr. Buzar para deliciar-me com a sua cultura, sua inteligência vibrante, sua sabedoria e seu maravilhoso senso de humor. Nascido em Itapecuru, tradicional urbe maranhense, escritor, jornalista, professor e ex-parlamentar, o nosso querido Benedito Buzar é detentor de uma memória prodigiosa e é grande conhecedor da história do Maranhão e do Brasil. Dá gosto ouvi-lo discorrer sobre acontecimentos políticos do nosso amado Maranhão. Mas Buzar é um apaixonado pela sua família, pelos seus amigos, por Itapecuru Mirim e pelo Maranhão. O mar, a terra, a história, as pessoas, as suas qualidades e defeitos, a luz, as paisagens dessa terra querida determina o ritmo de Buzar. Mesmo sem exercer mandato político, Benedito Buzar é um homem de estado. Ora, um homem de estado é antes de tudo homem. Sendo impossível entendê-lo sem nos olharmos dentro de nós mesmos para encontrarmos o que com ele temos em comum. Sentidos, sentimentos, idéias, impulsos, visões e ideais povoam a mente e o coração como a do ser humano mais simples e destituído. O que é singular em um homem como Benedito Buzar é a elevação paulatina dessas capacidades”. Isso transcrito aos Anais desta Casa fará uma homenagem ao nosso ex-deputado Benedito Buzar é a elevação paulatina dessas capacidades. O Dr. Benedito Buzar não foi e nem será cobrado, pois não se omitiu e nem negligenciou. O povo do Maranhão e do Brasil é quem deve muito ao ilustre homenageado pelo seu exemplo de vida”.

Anistia

Fábio Braga também lembrou que Benedito Buzar, ex-deputado estadual, teve o mandato abreviado pelo Regime Militar por não aceitar a forma como era conduzida a política naquela época. Mas, na gestão do então presidente Arnaldo Melo, a Assembleia Legislativa concedeu-lhe a anistia. “Esta Casa, depois de vários e vários anos, concedeu-lhe essa anistia. Ainda na presidência do deputado Arnaldo Melo foi feita uma homenagem aos deputados que tiveram os seus mandatos cassados naquela época”.


Tema segue em Brasília em busca de recursos para os municípios do MA

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM) e prefeito de Tuntum, Cleomar Tema, está cumprindo uma vasta agenda em Brasília desde segunda-feira (19), em busca da liberação de recursos para os municípios do Maranhão.

Nesta terça-feira (20), por exemplo, ele participou de um café da manhã com parlamentares que integram a Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Municípios e com representantes da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) , na Câmara Federal, na luta pelos projetos de Lei em favor dos municípios, em especial, o AFM que prevê o ingresso de 2 bilhões de reais para os municípios.

Nesse encontro, dirigentes das entidades municipalistas e os parlamentares discutiram a tramitação de vários projetos que estabelecem benefícios para os municípios, nas mais distintas áreas, com prioridade para a AFM que prevê o aporte de algo em torno de R$ 2 bilhões.

“Estamos numa batalha sem trégua aqui em Brasília. Estamos vigilantes e todo tempo, buscando apoio de nossa bancada e da Frente Parlamentar em Defesa dos Municípios, uma vez que são vários projetos ora em tramitação e se não lutarmos, se não mostrarmos unidade, sairemos no prejuízo”, afirmou Cleomar Tema.

O líder municipalista, que retorna a São Luís somente na quarta-feira (21), assinalou que o apoio da bancada maranhense está sendo muito importante nesta luta, enfatizando que independentemente de cores partidárias, todos os parlamentares estão focados na defesa dos municípios maranhenses.