Total de visualizações de página

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

LENE RODRIGUES SERÁ A CHEFE DE GABINETE DO GOVERNADOR FLÁVIO DINO

No início da tarde desta sexta (24), o governador eleito Flávio Dino informou por meio das redes sociais também o nome de sua Chefe de Gabinete, que será a professora Joslene da Silva Rodrigues (Lene).
Lene Rodrigues ao lado da vereadora Cristiane Bacelar, em recente evento de Campanha de Flávio Dino.  

Professora da Rede Estadual de Ensino, Joslene participou da coordenação da campanha de Flávio Dino nos anos de 2006, 2008, 2010 e 2014. Conhecida como Lene, ela faz parte do Diretório Estadual do PCdoB – MA.
Lene é formada em Química pela Universidade Federal do Maranhão e é professora efetiva da Rede Estadual de Ensino do Maranhão.



Homem corta o pênis após levar fora da namorada

Um macedônio cortou seu pênis e o jogou no lixo depois que ele foi abandonado por sua namorada devido à falta de habilidade dentro do quarto. Oliver Ilic, 22 anos, chamou os médicos quando não conseguiu parar o sangramento e disse a eles que sentiu que seu pênis de pequeno porte foi a culpa da separação. Segundo o rapaz, como aquilo era inútil, ele decidiu cortá-lo.

Depois que o amante abandonado foi levado ao hospital com as calças ensanguentadas, a polícia revistou a casa e achou o órgão amputado em uma lixeira, após ter sido cortado com um único golpe de uma lâmina de barbear.
Apesar de o membro ter sido entregue à instituição médica, um cirurgião qualificado  o suficiente não foi encontrado para realizar a religação. Ilic foi transferido para a capital Skopje, onde os profissionais conseguiram recolocar o pênis em uma complicada operação que durou mais de cinco horas. Mesmo assim, os médicos disseram que era muito cedo para saber se a cirurgia foi um sucesso e se o órgão do homem voltará a funcionar corretamente.
DO POP, COM EDIÇÃO DO GI PORTAL


Doleiro Youssef entrega Dilma e Lula: eles sabiam de tudo

Diário de Poder
Ex-presidente Lula e a atual presidente Dilma Rousseff tinham pleno conhecimento do esquema de corrupção que pode ter roubado R$ 10 bilhões dos cofres da Petrobras, segundo revelou o caixa do esquema, megadoleiro Alberto Youssef, em depoimento à Polícia Federal e o Ministério Público Federal. A revelação está na edição da revista Veja que circula nesta sexta-feira.

Segundo Veja, na última terça-feira, o doleiro Alberto Youssef entrou na sala de interrogatórios da Polícia Federal em Curitiba para prestar mais um depoimento em seu processo de delação premiada. Como faz desde o dia 29 de setembro, sentou-se ao lado de seu advogado, pôs os braços sobre a mesa, olhou para a câmera posicionada à sua frente e se colocou à disposição das autoridades para contar tudo o que fez, viu e ouviu enquanto comandou um esquema de lavagem de dinheiro suspeito de movimentar 10 bilhões de reais. A temporada na cadeia produziu mudanças profundas em Youssef. Encarcerado desde março, o doleiro está bem mais magro, tem o rosto pálido, o cabelo raspado e não cultiva mais a barba. O estado de espírito também é outro. Antes afeito às sombras e ao silêncio, Youssef mostra desassombro para denunciar, apontar e distribuir responsabilidades na camarilha que assaltou durante quase uma década os cofres da Petrobras. Com a autoridade de quem atuava como o banco clandestino do esquema, ele adicionou novos personagens à trama criminosa, que agora atinge o topo da República. Perguntado sobre o nível de comprometimento de autoridades no esquema de corrupção na Petrobras, o doleiro foi taxativo:
— O Planalto sabia de tudo!
— Mas quem no Planalto?, perguntou o delegado.
— Lula e Dilma, respondeu o doleiro.


Aécio lidera com nove pontos de vantagem sobre Dilma

Pesquisa ISTOÉ/Sensus mostra que o candidato do PSDB chega à reta final da campanha com 54,6% das intenções de voto, enquanto a petista soma 45,4%

Da redação
 Pesquisa ISTOÉ/Sensus realizada a partir da terça-feira 21 reafirma a liderança de Aécio Neves (PSDB) sobre a petista Dilma Rousseff nos últimos dias da disputa pela sucessão presidencial. Segundo o levantamento que entrevistou 2 mil eleitores de 24 Estados, o tucano soma 54,6% dos votos válidos, contra 45,4% obtidos pela presidenta Dilma Rousseff. Uma diferença de 9,2 pontos percentuais, o que equivale a aproximadamente 12,8 milhões de votos. A pesquisa também constatou que a dois dias das eleições 11,9% do eleitorado ainda não decidiu em quem votar. “Como no primeiro turno, deverá haver uma grande movimentação do eleitor no próprio dia da votação”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Se for considerado o número total de votos, a pesquisa indica que Aécio conta com o apoio de 48,1% do eleitorado e a candidata do PT 40%.
14983235364_cd8a5e56b2_o.jpg
Aécio Neves seria eleito presidente do Brasil se a eleição fosse hoje, afirma Sensus
 
De acordo com Guedes, a pesquisa realizada em cinco regiões do País e em 136 municípios  revela que o índice de rejeição à candidatura de Dilma Rousseff se mantém bastante elevado para quem disputa. 44,2% dos eleitores afirmaram que não votariam na presidenta de forma alguma. A rejeição contra o tucano Aécio Neves é de 33,7%. Segundo o diretor do Sensus, a taxa de rejeição pode indicar a capacidade de crescimento de cada um dos candidatos. Quanto maior a rejeição, menor a possibilidade de crescimento. Outro indicador apurado pela pesquisa Istoé/Sensus diz respeito á votação espontânea, quando nenhum nome é apresentado para o entrevistado. Nessa situação, Aécio também está à frente de Dilma, embora a petista esteja ocupando a Presidência da República desde janeiro de 2011. O tucano é citado espontaneamente por 47,8% dos eleitores e a petista por 39,4%. 0,2% citaram outros nomes e 12,8% disseram estar indecisos ou dispostos a votar em branco.
 
Para conquistar os indecisos as duas campanhas apostam as últimas fichas nos principais colégios eleitorais do País: São Paulo, Minas e Rio de Janeiro. O objetivo do PSDB e ampliar a vantagem obtida em São Paulo no primeiro turno e procurar virar o jogo em Minas e no Rio. Em São Paulo, Aécio intensificou a campanha de rua, com a participação constante do governador reeleito, Geraldo Alckmin, e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. De acordo com as pesquisas realizadas pelo comando da campanha de Aécio, em Minas o tucano já estaria na frente de Dilma e a vantagem veio aumentando dia a dia na última semana. Processo semelhante ocorreu em Pernambuco, depois de Aécio receber o apoio explícito da família de Eduardo Campos e do governador eleito, Paulo Câmara. Os mesmos levantamentos indicam que no Rio de Janeiro a candidatura do senador mineiro vem crescendo, mas ainda não ultrapassou a presidenta. Para reverter esse quadro, Aécio aposta no apoio de lideranças locais, basicamente de Romário, senador eleito pelo PSB, que deverá acompanhá-lo nos últimos atos de campanha. Para consolidar a liderança, Aécio tem usado os últimos programas no horário eleitoral gratuito para apresentar-se ao eleitor como o candidato da mudança contra o PT. Isso porque, as pesquisas internas mostram a maior parte do eleitor brasileiro se manifesta com o desejo de tirar o partido do governo.
 
No comando petista, embora não haja um consenso sobre qual a melhor opção a ser colocada em prática nos dois últimos dias de campanha, a ordem inicial é a de continuar a apostar na estratégia de desconstrução do adversário. Nas duas últimas semanas, o que se constatou é que, ao invés de usar parlamentares eleitos para esse tipo de ação – como costumava fazer o partido em eleições passadas -- os petistas escalaram suas principais lideranças para a missão, inclusive o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a própria candidata. Os petistas apostam no problema da falta d’água para tirar votos de Aécio em São Paulo e numa maior presença de Dilma em Minas para procurar se manter á frente do tucano no Estado.   
 
 
PESQUISA ISTOÉ/Sensus

Dilma e Aécio fazem último debate; encontro pode definir eleição?

A três dias do seu fim, o segundo turno das eleições presidenciais de 2014 concluirá, na "TV Globo", nesta sexta-feira (24), o ciclo de debates entre a atual presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) e o candidato Aécio Neves (PSDB).

 O período foi marcado pela postura agressiva --em diferentes níveis-- adotadas pelos candidatos nos três debates televisivos das últimas semanas, sobretudo na Band no dia 14 de outubro, e no do UOL/SBT/Jovem Pan no dia 16 -- na Record, domingo (19), os ataques foram reduzidos e mais propostas foram discutidasO debate na "Globo" começa às 22h10.

O debate como evento decisivo para o eleitor indeciso e a estratégia do ataque durante os encontros não são unanimidades, segundo especialistas ouvidos pelo UOL.

Para o marqueteiro político Chico Santa Rita, o eleitor normalmente não gosta dessa abordagem envolvendo trocas de acusações, chamada por ele de "pancadaria".

"Se houvesse uma terceira via ela estaria recebendo os votos dessa insatisfação. Na situação atual os dois vão ganhar e perder votos: só o resultado das urnas vão mostrar o vencedor", disse.


Após denúncia de Marcelo Tavares, Justiça suspende licitação abusiva do Governo Roseana

A Justiça proibiu, na tarde desta quinta (23), a licitação aberta pelo Governo Roseana Sarney que tinha por objetivo contratar empresa para gerenciar o Sistema Penitenciário do Maranhão por dois anos. O valor foi considerado abusivo e foi denunciado à Justiça pelo deputado estadual Marcelo Tavares (PSB), coordenador da Equipe de Transição designada por Flávio Dino.


Com valor de R$ 1,39 bilhão, a licitação seria realizada na tarde desta quinta (23), às 15h, na Comissão Central de Licitação do Governo do Estado. O valor, que corresponde a nada menos que 10% de todo o orçamento do Estado, foi considerada abusiva pelo juiz Dougla de Melo Martins, que responde pela Vara de Interesses Difusos e Coletivos.

O juiz acolheu a argumentação do deputado, que demonstrou que o contrato pretendido pelo Governo Roseana era abusivo. A licitação transcorreria no final do mandato de Roseana Sarney, o quer descumpre o artigo 42 da Lei Complementar 101/2000. O dispositivo legal proíbe que nos últimos oito meses de administração sejam feitas contratações que não possam ser pagas pelo governo que termina.

Além disto, o juiz salientou que o valor global do contrato ultrapassa o razoável para a contratação desse serviço está muito acima do praticado em todo o Brasil. A título de comparação, o juiz mostrou que o estado do Alagoas gasta mensalmente por preso o valor total de R$ 3 mil, enquanto o contrato proposto por Roseana Sarney dedicaria a cada preso nada menos que R$ 8.891,00 mensalmente.

A decisão, segundo o magistrado, teve por obrigação “resguardar o patrimônio público, especialmente em razão da proibição do enriquecimento ilícito do particular às custas da Administração Pública”. O caso continuará sendo investigado pela Justiça Estadual.


Flávio Furtado: Um homem forte do governo Flávio Dino no Baixo Parnaíba.

Assim como os resultados das urnas enfraqueceram o prefeito de Coelho Neto, Soliney Silva, PRTB, em uma proporção bem maior o prefeito da vizinha cidade de Duque Bacelar saiu fortalecido do embate florescendo como um importante parceiro do governo da mudança na região, que mostrou força política e liderança.
  



Enquanto Soliney ficou apenas com um deputado estadual chamada Max Barros, que não passará de um mero oposicionista, perdendo um governador, um deputado federal que ia ser um forte senador não pra Coelho Neto, mais para o próprio Soliney, e se afundando junto com os Marinhos em Caxias, Flávio Furtado em Duque Bacelar, ganha um senador, e mais do que um governador um amigo, três deputados estaduais e a influência de outros federais.

Enquanto a chegada de Flávio Furtado era comemorada na campanha vitoriosa de Flávio Dino, com muitas portas abertas o núcleo forte da campanha do comunista era negado a vinda de Soliney por intender que não ajudava, mas atrapalhava. Soliney quis e muito sair do barco furado cedo, mas não houve interesse por parte dos dinistas. Um especialista em alianças políticas disse uma célebre frase sobre o prefeito de Coelho Neto, que convenceu a todos.

“Eu conheço Soliney, é um fardo que não há necessidade para se carregar.  Ganharemos as eleições sem ele. É com isso, enfitaremos muitos problemas. Conheço a peça da Assembleia Legislativa.  Isso foi o que estava faltando pra todos concordarem e de cara negaram o passaporte do prefeito de Coelho Neto, para a campanha de Flávio Dino.
    
Uma derrota grandiosa como essa para Soliney, a de ver as pretensões estaduais de seu filho melada fere o ego de quem quer ser tão importante como ele, e que planejou muito mais do que isso pra si.  Se o governo de Zé Reinaldo foi visto como Algo determinante para o início do apogeu de Soliney o de Flávio Dino, parece marcar o desmoronamento do império político de quem um dia sonhou ir tão longe na política do Maranhão, pelo o caminho do engano do eu posso tudo tentando impor humilhação a muitos.

Soliney ao longo de sua carreira política deixa pra traz dezenas de inimigos e injustiçados que de cara ganha o príncipe da Paz como advogado.   

Como se não bastasse a estratégica importância de Flávio Furtado na campanha de Flávio Dino através da candidatura de deputado federal de seu irmão, Cláudio Furtado, Flávio Furtado entra no projeto de corpo e alma já como articulador e Ajuda arregimentar nomes de peso para o projeto.

Flávio Furtado apoiou em Duque Bacelar dois deputados estaduais César Pires e Fábio Macedo, e conseguiu dividi os votos pros dois. Para Fábio Macedo e César Pires o prefeito de Duque Bacelar conseguiu articular outros apoios importantes em outros municípios. Como fruto da campanha de Cláudio Furtado, Flávio fez outras alianças promissoras com o deputado Fábio Braga em Coelho Neto, e outros municípios que deu certo. Hoje Flávio tem a seu favor três deputados estaduais na Assembleia Legislativa.

A sua importância no projeto político de transição comandado por Flávio Dino, lhe rendeu importantes trâmite em Brasília a partir de 2015 e livre acesso no Palácio dos Leões. A dupla Cláudio Furtado e Flávio, se fortaleceram e muito com o governo Flávio Dino, e vencerão as artimanhas de quem um dia tentou lhe fazer de objeto a venda.

Já dizia os antigos o mundo é uma gangorra não critique de mim tu desce quando eu ir subindo.