Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Descaso: caminhão cai em ponte na zona rural de Coelho Neto

Não é de hoje que falamos aqui, do total abandono em que está o município de Coelho Neto, principalmente a zona rural, depois que Soliney Silva se tornou prefeito, deste município. As nossas estradas, pontes, vilas e Povoados estão jogados a própria sorte, com sede, de água e muita sede de justiça.


 
No início da noite de domingo 29, por pouco não aconteceu um tragédia com muitas vítimas fatais no Povoado Santa Maria: um caminhão carregado de madeiras em toras para cerraria, que vinha da localidade Paú do Genê, quase caiu com ponte e tudo lá em baixo, não fosse a ponta de dois paus que batendo na barreira sustentando o caminhão.  
Pelo o fato de não ter tido vítima fatal, a situação em que está o caminhão tem se tornado uma atração para os moradores da região e pra quem passa.
Todas as três pontes feita nesta vicinal junto com a estrada nos Anos 80 (a primeira no Povoado Olho D’água Grande, a segunda, é essa da Santa Maria, e a terceira, no Congo, nos arredores do Povoado Lagoa do Arroz, município de Aldeias Altas,) foram feitas pelo grupo industrial João Santos e concertadas quando quebram.
Por cima dessa da Santa Maria, que quebrou com o carro, durante o ano letivo 4 vezes por dia o ônibus escolar passa por cima dela cheio de alunos. Uma outra ponte menor dentro do Povoado Santa Maria também representa grandes riscos para os alunos e pessoas que todos os dias trafegam por ela rumo a Coelho Neto.
 O problema das pontes é do conhecimento do prefeito e do Secretário municipal de infraestrutura. Já pensou se fosse o transporte escolar que tivesse caído da ponte que há dias vinha pedindo uma reparo, cheio de alunos por falta de manutenção do poder público municipal? Enquanto isso, o prefeito Soliney Silva, presta contas tentando justificar o injustificável e pensando que a população de Coelho Neto ainda acredita nele com estas histórias.     


Dino não sabe quem lançar para o Senado: Dutra, Rocha ou Castelo

Do Atual7
Ainda é de grande indefinição e pura enrolação a escolha do nome que será alçado à candidato único ao Senado Federal pela chapa da parte da oposição maranhense ligada ao presidente da Embratur e pré-candidato ao governo estadual em 2014, Flávio Dino (PCdoB).
Até agora, os principais nomes na disputa são os do ainda deputado federal Domingos Dutra (SDD); do vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha (PSB); e o ex-prefeito da capital, o tucano João Castelo.
PLANO C O presidente da Embratur, Flávio Dino, que usa de toda artimanha comunista para repetir o que fez em 2012, quando criou um consórcio de candidatos, mas já sabia quem seria o escolhido. Foto: Felipe Klamt
Rocha aguarda, desde 2012, uma declaração pública de apoio à sua candidatura por Flávio Dino, que tentou novamente enrolá-lo quando em entrevista ao O Globo, recentemente, dando como quase certo que o nome escolhido por ele viria mesmo do PSB.
Ocorre que o ex-petista Domingos Dutra fez-se de vítima, perseguido do Clã Sarney, e conseguiu emplacar a viabilidade de seu nome, ao mostrar que tem força para tomar o Solidariedade do deputado federal Simplício Araújo, que também foi enrolado.
Dutra alega que só retira a sua pré-candidatura ao Senado se Dino optar pelo nome o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) para o cargo.
Já João Castelo, outro nome que também ganhou força na ala bagunçada na oposição maranhense, passou a ser a escolha preferida do próprio Flávio Dino, que não se decidiu, mas sabe que precisa passar mais ainda por cima do próprio discurso de mudança e fim das velhas raposas da política para conseguir alguns minutinhos a mais na TV, na propaganda eleitoral gratuita.
De todos os três, o tucano é quem tem mais força por ser ele o candidato de Zé Reinaldo, que enrolou Roberto Rocha, e é o mentor político do pré-candidato comunista.

LUTO: FALECEU O CANTOR E COMPOSITOR EVANGÉLICO ELIAZAR SANTOS

Faleceu na madrugada desta segunda-feira 30, em Chapadinha, o cantor e compositor evangélico Eliazar Santos, uma das grandes vozes da música evangélica. Irmão do outro cantor e compositor Ezequias Santos, Eliazar Santos provavelmente faleceu de um infarto ou de um (AVC) Acidente Vascular Cerebral, deixando Chapadinha de luto.
O cantor e compositor morava no bairro da Corrente em Chapadinha, e por lá passaram centenas de pessoas que foram dá o último adeus aqui na terra, ao amigo e irmão Eliazar Santos.
“Eliazar Santos foi ao encontro do Pai Celestial e o nosso consolo é que em breve voltaremos a nos encontrar é a esperança de todos que aceitaram Jesus como Senhor e Salvador,” disseram evangélicos nas redes sociais, que conheciam o músico.

Com a sua morte, o mundo evangélico maranhense está de luto e lamenta profundamente. 



Projeto Coelho Neto Bike Cross, é lançado com um passeio Ciclístico

Na manhã de domingo, 29 de Dezembro, o l Passeio Ciclístico, nas ruas e avenidas de Coelho Neto, lançou o Projeto Coelho Neto, Bike Cross um projeto que nasceu da necessidade de Paz no trânsito de Coelho Neto.

A vereadora Cristiane Bacelar(SOLIDARIEDADE), na intenção de levar às ruas o que ela tem debatido constantemente na Câmara em relação ao Trânsito, reunião com os meninos que empinam bicicletas nas Ruas, Praças e Avenidas, e diante das ideias foi criado o Projeto Coelho Neto Bike Cross, no intuito também de educar os ciclistas aventureiros e tirar deles essa pratica nada agradável.
O primeiro passo foi dado: o l Passeio Ciclístico aconteceu em grande estilo e conseguiu dá um recado as autoridades de nosso município.
O Projeto é educativo para o Trânsito e busca direcionar os jovens a evitar acidentes e a reivindicar um Trânsito seguro. Dentro das metas do Projeto terá atividades esportivas como: campeonato de ciclismo, enduros, manobras e passeios.
Na avaliação da Vereadora Cristiane Bacelar, trabalhar a conscientização das pessoas ainda é o melhor caminho pra ser ter uma sociedade mais justa e igualitária.  
No trajeto do Passeio, familiares da pré-adolescente Ana Paula, que faleceu recentemente vítima do trânsito na avenida Coelho Neto, participaram com cartazes e frases de efeito pedindo providências para o Trânsito. O encerramento do passeio na Praça João Santos, foi marcado pela fala da mãe de Ana Paula, que com lagrimas, fez justas solicitações.
A vereadora Cristiane Bacelar, o ex-vereador e Presidente do SOLIDARIEDADE, em Coelho Neto, Reginaldo Sousa, o Sindicalista Pedro Machado Frota, dentre outros participaram do l Passeio Ciclístico.







      

    

domingo, 29 de dezembro de 2013

I Passeio Ciclístico; Projeto Coelho Neto, BIKE CROSS

Veja imagens que marcaram o lançamento do Projeto Coelho Neto Bike Cross, com o I Passeio Ciclístico realizado hoje, nas Ruas e avenidas de Coelho Neto.
O Projeto pede PAZ no transito.
Cobertura Completa nas próximas horas aqui no PORTAL LESTE MARANHENSE. Veja também no Portal COELHO NETO





MAIS UMA VOLTA AO SOL, PARABÉNS ADENILSON BORGES, VIDA LONGA E FELICIDADES

Quem está aniversariando hoje 29 de Dezembro, é o jovem Adenilson Borges. A ele, o PORTAL LESTE MARANHENSE, deseja vida longa e felicidades.


Hoje, Adenilson Borges participa ao lado de amigos aqui em Coelho Neto, no clube Nassau, de um jogo de futebol comemorativo ao seu aniversário.  

Ai Vem bomba!!

Em conversa com o ex-assessor de Comunicação do governo Magno Bacelar, João Henrique, tomei conhecimento de que ele tem um farto material de áudio e vídeo dos 12 anos da era Bacelar, onde consta discursos, pronunciamentos, elogios de figuras da política de Coelho Neto, aos governos de Márcia e Magno Bacelar.
João Henrique ao seu estilo promete começar a jogar a partir de agora, na internet. Vamos aguardar!

Este acervo acima de tudo será um instrumento de retrospectiva dos grandes avanços que Coelho Neto alcançou e servirá também para sua análise de quem são e como agiram os políticos de nossa terra.  

O JOGO JÁ COMEÇOU !


O jogo da sucessão estadual começou a ganhar contornos desprezíveis. Os mecanismos usados a partir de agora vão da canela pra baixo. É a baixaria na campanha que ainda oficialmente nem começou.

A atual oposição, que já foi governo, espalha no Maranhão inteiro que o pré-candidato a governador Luís Fernando desistiu da disputa. Ou melhor: que seu grupo político escolheu outro nome.

A tentativa frustrada de retirar o secretário de Infraestrutura do páreo virou motivo de piada. Chegaram até a inventar que prefeitos teriam sido comunicados da decisão que nunca existiu.

A intenção demonstra o claro desespero que tomou conta do terreiro dos que agora se travestem de oposicionistas. Alardeiam que Luís Fernando não será candidato por não ter atingido os 25% pretendidos nas pesquisas.

E assim acabaram esquecendo do exemplo dentro de casa. Todos se lembram que Zé Reinaldo estava com a bunda sentada no trono de governador e na condição de candidato não atingia nem 5%. Acabou ganhando a disputa logo no primeiro turno.

Se o secretário de Infraestrutura tem 18% ou 20% como espalham os oposicionistas, é um avanço significativo para quem entra na disputa contra quem é candidato desde 2010.

Pior do que crescer razoavelmente é cair bruscamente. Flávio Dino estava até o início do ano com 72% nas pesquisas. Hoje tem menos de 50%. E olha que mais da metade do eleitorado maranhense ainda não se definiu, conforme as consultas de opinião.

Mas a oposição, que ainda tem os traços de governo, quer ganhar a eleição e assumir o poder a qualquer custo. Pouco importa os mecanismos ou das invenções que serão usadas daqui pra frente.

Não demora muito vão falar que Luís Fernando é inelegível por ser eleitor de São José de Ribamar e que a cidade vai desaparecer do mapa maranhense tragada pelas águas turvas da história.
texto de Luís Cardoso

Gestores proibidos de distribuir ‘bens’ a partir de janeiro Política

Diário do Poder
Com a proximidade das eleições para escolha de presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais, marcadas para o próximo dia 5 de outubro, pessoas que ocupam cargos públicos passam a ter que seguir regras estipuladas pela Lei das Eleições (Lei nº 9.504/97 ). Pelas regras eleitorais, a partir do dia 1º de janeiro fica proibida, por exemplo, a distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios pelos gestores de órgãos da administração pública.
Os repasses só podem ocorrer nos casos de calamidade pública, de estado de emergência ou de programas sociais que já estão autorizados em lei e em execução orçamentária no exercício anterior. Nestas situações, representantes do Ministério Público Eleitoral poderão acompanhar os gastos e distribuições.
As entidades e organizações vinculadas ou mantidas por candidatos também ficam impedidas de executar programas sociais, e neste caso, a proibição se estende inclusive para os programas autorizados em lei ou previstas no orçamento do exercício anterior.
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Marco Aurélio, explicou que a medida é uma forma de garantir o equilíbrio da disputa eleitoral. O hall de ações proibidas aumenta ainda mais à medida em que as votações se aproximam. A partir de 8 de abril, por exemplo, agentes públicos não podem rever salários pagos aos servidores públicos. A revisão só pode ocorrer dentro da margem de recomposição de perdas do ano.
Três meses antes do início do processo eleitoral, a partir do dia 5 de julho, fica proibido o uso de dinheiro público para contratação de shows artísticos em inaugurações e o comparecimento de qualquer candidato a inaugurações de obras públicas. Também não é permitido o pronunciamento em cadeia de rádio e de televisão, fora do horário eleitoral gratuito. Mas o pronunciamento pode ocorrer se houver uma situação considerada urgente e relevante pela Justiça ou tratar de situações características das funções de governo.
Qualquer nomeação e admissão de pessoas ou a demissão de funcionários sem justa causa também fica proibida a partir desta época. A mesma regra vale para os casos de suspensão ou readaptação de vantagens salariais ou de cargos e para qualquer ações que possa ser considerada um dificultador da função ocupada pelo trabalhador público.
Os funcionários de órgãos governamentais também não podem ser removidos, transferidos ou exonerados nesse período. A medida tem que ser obedecida até a posse dos eleitos. A única exceção à regra é para os casos de nomeação ou exoneração de cargos em comissão ou dispensa de funções de confiança, nomeações para cargos do Poder Judiciário, do Ministério Público, dos tribunais ou conselhos de contas e dos órgãos da Presidência da República. A nomeação de candidatos aprovados em concursos públicos homologados até 5 de julho de 2014 também fica mantida.
Os agentes públicos que ocupam cargos em disputa na eleição também não podem autorizar publicidade institucional dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos federais e estaduais, ou das entidades da administração indireta. A restrição só pode ser ignorada quando houver caso de grave e urgente necessidade pública reconhecida pela Justiça Eleitoral. O impedimento também não atinge propaganda de produtos e serviços que tenham concorrência no mercado.
A fiscalização dessas ações é feita pelos partidos políticos e pelo Ministério Público. O eleitor pode procurar representantes dessas entidades para denunciar qualquer irregularidade. Os agentes públicos que descumprirem as regras serão punidos com multa e podem ter o registro ou o diploma cassados. ABr

sábado, 28 de dezembro de 2013

Cristiane Bacelar vai pedalar para a vida.

A vereadora Cristiane Bacelar(Solidariedade) além de estar preparando com muito idealismo e entusiasmo o I Primeiro Passeio Ciclístico da Juventude que acontecerá amanhã, as 7 horas da manhã iniciando no Estádio Tancredo Neves percorrendo Ruas e Avenidas de Coelho Neto, ela também será uma ciclista no movimento.

 A Parlamentar Cristiane Bacelar como parte idealizadora do Projeto Coelho Neto BikeCross, e ciclista do I Passeio Ciclista da Juventude, aposta no efeito conscientizador que as atividades esportivas darão a população de Coelho Neto.  
O objetivo do Passeio Ciclístico é promover a educação no trânsito assim como outras ações que virão que são enduros, competição de ciclismo e manobras.
 Além de lançar este projeto, o passeio ciclístico ainda pretende chamar a atenção dos órgãos competentes para o caos e a violência em que se encontra o trânsito em Coelho Neto. Afinal, segundo a Vereadora Cristiane Bacelar, existe uma previsão financeira anual para o governo municipal administrar e fiscalizar o trânsito. Recentemente, foram aprovados pela câmara R$ 731.590,15 para a manutenção do departamento de trânsito em 2014.
“Nessa ação educativa é importante a participação de todos. Os jovens estão imersos na organização e totalmente dedicados ao sucesso do projeto, “diz Cristiane Bacelar.   


BOA TARDE, DRA. SONSOLES CARMONA!

O nosso boa tarde de hoje, 28 de dezembro, vai para a Dra. Sonsoles de Maria Carmona Sanches.
Sonsoles Carmona, é uma das medicas Cubanas do Programa “Mais Médico” do Governo Federal que está trabalhando em Coelho Neto.
Simpática e carismática, Sonsoles de Maria Carmona Sanches, assim como as suas compatriotas portam um senso invejável de atenção para com os coelhonetenses a ponto de serem elogiadas por aonde passam.
Dra. Sonsoles Carmona é cubana de origem árabe.

MUITO BOA TARDE DRA. SONSOLES DE MARIA CARMONA SANCHES E SEJA BEM VINDA A NOSSA TERRA, ASSIM COMO AS DEMAIS PROFICIONAIS CUBANAS E OUTROS MÉDICOS DE OUTRAS NACIONALIDADES QUE VENHA A COELHO NETO TRABALHAR!          

Oposição é tão “boazinha” a ponto de torcer para um candidato mais forte do que Luis Fernando? Piada!

O secretário-chefe da Casa Civil, João Abreu, destruiu ontem mesmo um factoide mal montado pela turma da oposição.
Segundo a “notícia”, ele seria o candidato a governador do grupo governista, em substituição ao secretário de Estado da Infraestrutura, Luis Fernando (PMDB).

Em contato com a reportagem de O Estado, Abreu garantiu que não tem pretensão de ser candidato. “Não sou nem serei candidato”, disse.
Ele reafirmou, ainda, não apenas o seu, mas o apoio de toda a base aliada ao projeto Luis Fernando. “O candidato é Luis Fernando com apoio não só meu, mas de toda a base governista”, completou.
Medo?
Essa não é a primeira vez que a oposição tenta forçar uma candidatura de João Abreu. No entanto, em vez de desgastar Luis Fernando – principal objetivo – esse tipo de movimento apenas mostra como os adversários do peemedebista parecem temê-lo.
Em março deste ano, por exemplo, o deputado Marcelo Tavares (PSB) desandou a tecer elogios ao chefe da Casa Civil em discurso na Assembleia.
E, confiante, disse até que, se o candidato fosse ele, “nós teríamos uma dificuldade um pouco maior para vencer essas eleições”.
Ou seja: a oposição é tão boazinha que, vendo o Grupo Sarney na iminência de uma derrota acachapante nas urnas em 2014, está lutando para que ele entre na disputa com um candidato melhor.
É isso mesmo?
Conta outra…

Do Blog do Gilberto Léda

Deputado Federal Simplício Araujo convida juiz criador da Lei Ficha Limpa para ser candidato ao Senado


Juíz Márlon Reis, criador da Lei da Ficha Limpa
O deputado federal Simplício Araujo, presidente do partido “Solidariedade/MA”, convidou o juiz maranhense e criador da lei ficha limpa, Márlon Reis para se filiar ao partido e concorrer a uma vaga no Senado em 2014. O convite foi feito por Simplício nesta quinta feira (26) quando concedeu entrevista ao programa “Na Boca da Noite”, da TV Guará, apresentado pela jornalista Monica Lima.

O Blog procurou o juiz para falar sobre o assunto, ao titular da pagina, Márlon Reis afirmou ter sido surpreendido pela noticia e afirmou não ter recebido um convite formal. “Não recebi nenhum convite. Fui surpreendido com a notícia, por conta disso, inexistindo qualquer convite formal, não me sinto confortável em antecipar uma resposta. Trata-se de um tema sobre o qual jamais me debrucei” afirmou o magistrado.

Questionado se a possibilidade pode se tornar real ou não, Márlon Reis não responde que não, porém diz que precisava pensar.   “É o que eu disse. Nunca pensei sobre o assunto. Não se toma uma decisão de alta magnitude como essa sem um longo processo de reflexão” disse ele.

No caso do pai da ficha limpa receber o convite formalmente por parte do Solidariedade/MA e aceitar o desafio ele tem a prerrogativa de se filiar ao partido político até seis meses antes da eleição. Por tanto, Márlon  tem algum tempo para discutir o assunto com deputado federal Simplício Araujo, caso o Solidariedade queira levar adiante o plano de conduzir o criador da lei ficha limpa para o Senado Federal. 
Do Maicon Sousa Blog

Mais uma volta ao sol, Parabéns Adilson, o dia hoje é seu

Adilson Luz, ao lado de sua esposa Cléa Crateús 
Quem está completando mais uma volta ao sol hoje 28 de Dezembro, é o meu amigo e empresário Adilson Luz. Aproveito este momento de festa e grandes conquistas pela data natalícia desse grande homem, para lhe desejar vida longa e felicidades. Que DEUS seja como sempre foi o teu guia, é o que o Blogueiro titular do PORTAL LESTE MARANHENSE, Ezequias Martins, lhe deseja. PARABÉNS    

I Passeio ciclístico da Juventude

Pedalar para a vida. Trânsito seguro é a gente que faz. Felicidade e Paz 

O Projeto Coelho Neto BikeCross nasceu da conversa de um grupo de jovens ciclistas do município com a vereadora Cristiane Bacelar no mês de Dezembro. A vereadora psicóloga indignada por acompanhar apenas solicitação de medidas punitivas para a juventude das bicicletas e motos que empinam pneus resolveu chamá-los para uma conversa psicológica e a partir daí surgiu um planejamento de ações para os ciclistas que resultou num planejamento de longa durabilidade chamado Coelho NetoBikeCross, nome criado pelos jovens.
O objetivo é promover a educação no trânsito dentro de muitas ações como passeios ciclísticos, enduros, competição de ciclismo e manobras, e diante de uma ação imediatista, como é característico dos jovens, que estão realizando um primeiro passeio ciclístico nas principais vias do município dia 29 de dezembro às 7 horas.

Além de lançar este projeto, o passeio ciclístico ainda pretende chamar a atenção dos órgãos competentes para o caos e a violência em que se encontra o trânsito em Coelho Neto. Afinal existe uma previsão financeira anual para que o governo se digne a administrar e fiscalizar o trânsito e, recentemente, vimos que foram aprovados pela câmara R$ 731.590,15 para a manutenção do departamento de trânsito em 2014. Nessa ação educativa todos devem estar presentes, e os jovens estão imersos na organização e totalmente dedicados ao sucesso do projeto.

 À frente também da organização os jovens Marcos Cardoso, Serio Weverson, Alexandre da Conceição , Noellyo dos Santos e Joel da Costa.

Rosângela Curado em Coelho Neto

A história real de rompimento dos Guanabaras e da ex-secretária municipal de Saúde de Coelho Neto, Rosângela Curado, com o prefeito Soliney Silva ganha um capítulo especial hoje: tudo por conta da passagem de Rosângela por aqui.
Em viagem pela a região leste maranhense, Curado passará o dia de hoje 28, em Coelho Neto, ao lado de seus correligionários e amigos.
Rosângela Curado e o ex-prefeito de Coelho Neto, Raimundo Guanabara 

Blogueiro Samuel Bastos, Rosângela Curado e Chico Leitoa 
Entre os compromissos de Rosângela Curado em Coelho Neto, ela Almoçará com seu amigo e correligionário o Blogueiro Samuel Bastos, e tem uma agenda extensa por aqui. Ao lado do ex-prefeito Raimundo Guanabara, Rosângela Curado, visitará a classe política e vários amigos.
 Outro compromisso da pré-candidata a deputada Federal em terras coelhonetenses é visitar a cúpula do PDT de Coelho Neto, chamada também de cúpula “marianiana “seus companheiros de partido e de luta.
 Diante do rompimento de público com Soliney, Rosângela Curado em Coelho Neto, tem se mostrado habilidosa e trabalha com eficiência para não prejudicar os seus amigos que fazem parte da estrutura do governo municipal.  Certamente evitará visita-los para não lhes trazer problemas.
A passagem de Rosângela Curado por Coelho Neto, na condição de uma das principais lideranças do PDT estadual, e colaboradora da oposição ao prefeito Soliney Silva, se transforma em um fato novo da política de Coelho Neto.   


sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

PARABÉNS CARNAÚBA, HOJE É SEU DIA



: Ex-prefeito de Vitorino Freire Apáricio Bandeira, Roseana Sarney e ex-prefeito de Duque Bacelar Chico Carnaúba.
Observação: Apáricio Bandeira e Chico Carnaúba foram prefeitos na mesma época 
Que está aniversariando hoje 27 de dezembro, e o ex-prefeito de Duque Bacelar, Chico Carnaúba, uma lenda viva da política do Garapa.
 Chico Carnaúba foi eleito prefeito em Duque Bacelar para o mandato de 1989 a 1992, numa aliança política com o então prefeito Chico Burlamaque. Antes Carnaúba era vereador e muito se destacou no Parlamento bacelarense.
Hoje Carnaúba continua vivendo na pacata cidade de Duque Bacelar, participando ativamente da vida política daquele município. Um homem sem posses, mas de cabeça erguida e de mente tranquila: “tudo que peguei investi no povo e para o povo em forma de políticas públicas”, disse ele uma certa feita, em conversa com nossa reportagem.
Amigo e aliado incondicional da Governadora Roseana Sarney, Carnaúba é um dos entusiastas da pré-campanha de Luís Fernando rumo ao governo do estado.
 Parabéns CHICO CARNAÚBA, VOCÊ É UM GUERREIRO.      


O nosso boa tarde de hoje, vai para Nelson Gaspar!

O nosso boa tarde de hoje, 27 de dezembro, vai para o ex-vereador de Coelho Neto, Nelson Gaspar, (foto).
Nelson Gaspar é um dos homens íntegros que a política de Coelho Neto, conheceu.
                                       Um pouco de Nelson Gaspar
Nelson Gaspar iniciou a sua militância política em Coelho Neto, nas épocas de estudante. Embora tenha atuado quase no anonimato ou nos bastidores dos laboratórios políticos de Coelho Neto um bom tempo, sua participação na história político de nosso município assim como a sua contribuição na cultura são visíveis.  
Em 2000, numa articulação do (GIP) Grupo de Integração Popular, onde tinha Júlio César, Antonio Ramos, Toinho Cultura, Bené Gomes, Gabriel Ramos e outros entusiastas da cultura coelhonetense, Nelson Gaspar foi eleito vereador pelo o então PL.  Nelson foi um legislador de mão cheias.
De 2004 a 2008, Nelson Gaspar foi secretário de Meio Ambiente e Chefe de Gabinete na gestão Magno Bacelar. O sentimento dele de amor por Coelho Neto, é tão grande que se doou e fez um grande trabalho por nossa terra.
Outra coisa bastante elogiada feita por Nelson Gaspar, como Chefe de Gabinete foram as articulações e costuras com a classe política. Nelson Gaspar se tornou um hábil negociador.

Um grande abraço e feliz ano nosso ao homem que sempre pensa luta e trabalha pensando na coletividade.           

GARIMPEIROS O SONHO ACABOU, SÓ R$ 140,00 POR MÊS DURANTE 11 ANOS


O sonho acabou. Apenas cerca de R$140,00 mensais será o valor destinado a cada garimpeiro de Serra Pelada
Informações da Colossus dão conta que a parceria entre a canadense Colossus e a Coomigasp em Serra Pelada vai produzir 1.000.000 de onças de ouro (cada onça equivale a 31,1 gramas) ao longo dos onze anos previstos de produção. Se confirmada a expectativa, o sonho de bamburrar dos garimpeiros vai por água abaixo, já que caberia pouco mais de R$140,00 mensais ao longo de onze anos a cada um dos 38.000 garimpeiros hoje associados a Coomigasp.
Serra Pelada 3
No final de 1979 a filha de um vaqueiro da Fazenda Três Barras, localizada no então município de Marabá, no sudeste do Pará trouxe algumas pedras junto da água que buscara em um córrego da fazenda. Aristeu, um funcionário da fazenda que já havia trabalhado em um garimpo em Cumarú do Norte reconheceu, encrostada em uma das pequenas pedras, uma “risca” de ouro. Precavido, Aristeu nada disse aos demais funcionários. Todavia, visitou o local pra ver se encontrava algo mais consistente.
No fim semana seguinte, Genésio Ferreira da Silva, dono da fazenda, chegou ao local e foi comunicado por Aristeu das suspeitas de que havia uma boa quantidade de ouro no local que o garimpeiro chamou de Grota Rica. Os dois, em uma única tarde, munidos apenas de um prato esmaltado e uma picareta tiraram do pequeno córrego nada menos que 79 gramas de ouro puro.
A notícia de ouro brotando no pé da Grota Rica correu o país. Garimpeiros ávidos pelo metal precioso migraram de todos os cantos do país para a região. Em abril de 1980, apenas quatro meses após o anúncio da descoberta de ouro, cerca de  dez mil garimpeiros já estavam no local que passou a ser chamado de Serra Pelada e que receberia, em dezembro daquele ano, o impressionante número de cento e vinte mil garimpeiros circulando de dentro para fora da cava em movimentos tão sincronizados como se um grupo de balé fosse.
sERRA pELADA 1
Em 1981 os garimpeiros foram registrados pelo Receita Federal e o garimpo sofreu uma intervenção comandada pelo militar Sebastião Rodrigues de Moura, o major Curió. Todo o ouro ali descoberto teria que ser vendido para a Caixa Econômica Federal.
Ainda em 1981, com a escassez de ouro na superfície, o governo federal deu início a algumas obras visando prorrogar a extração manual. A ação deu certo e em 1982 o garimpo foi reaberto. Curió foi eleito deputado federa, propondo, em 1983, uma lei que dava permissão para que garimpeiros continuassem explorando o ouro de Serra Pelada por cinco anos. Em 1984, a Vale recebeu indenização de US$ 59 milhões pela perda da concessão da mina por quebra de contrato, já que a mineradora era a detentora da lavra.
Em setembro de 1983, Lindolfo de Brito achou em Serra pelada a maior pepita já registrada no Brasil, com 62,3 quilos. O lugar fervilhava a ponto do aeroporto local receber cerca de 30 viagens de monomotores diárias – na época, o movimento de táxi aéreo superava o do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Serra Pelada se tornara o maior garimpo a céu aberto do mundo.
Nasceu Curionópolis, um pequeno vilarejo à margem da PA-275 usado para a diversão dos garimpeiros de Serra Pelada, já que no garimpo eram proibidas a entrada de mulheres, drogas, armas e álcool.
formigas em Serra PeladaComo não havia mais ouro na superfície, os garimpeiros cavavam um buraco, que era drenado todos os dias e a procura pelo ouro de Serra Pelado foi ficando mais perigosa. Para levar o minério até o riacho onde era lavado, os garimpeiros subiam e desciam escadas moldadas no barro ou improvisadas com madeiras. Cada saca pesava 35 quilos: em um dia, um “formiga” carregava 1,7 tonelada de barro. Em julho de 1983, dezenove pessoas morreram em um deslizamento de terra.
Algumas fortunas foram feitas em Serra Pelada. Tantas outras retornaram e se perderam como investimentos para dentro do buraco, que em 1984 já tinha mais de 200 metros de profundidade e hoje  é uma grande lagoa que serve apenas para que os antigos garimpeiros que ainda vivem na Vila de Serra Pelada voltem a sonhar em vê-lo novamente produzindo. O garimpo, a cada dia, se tornava menos lucrativo para o garimpeiro e para o Estado. Mas, apesar de todos esses fatores, os garimpeiros continuavam trabalhando dia e noite na esperança de “bamburrar” – expressão relacionada ao fato de enriquecer.
Serra Pelada 2O garimpo foi interditado por diversas vezes devido a desmoronamentos e quebra das dragas que sugavam a água do fundo do enorme buraco. Numa dessas paralisações, em 1984, garimpeiros revoltados por não serem atendidos em obras de rebaixamento do garimpo que supostamente viabilizariam o reinício da lavra, invadiram Parauapebas e queimaram parte do Núcleo Urbano recém criado pela Vale. Houve uma tentativa de invadir a mina de ferro em Carajás. Autoridades estiveram sob a mira de garimpeiros por diversas horas. Após intensas negociações, os reféns foram libertados e os garimpeiros voltaram para Serra Pelada, onde aguardariam o início das obras, que jamais aconteceram. Serra Pelada permaneceu desativada.
Vários outros conflitos foram produzidos por garimpeiros e a PM do Pará. Num deles, o garimpeiro João Edson Borges foi espancado e morto por um policial. Em reação, um policial foi morto e a Polícia Militar acabou expulsa de Serra Pelada.
Ponte Rodoferroviária de MarabáEm dezembro de 1987, um conflito que ficou conhecido como Massacre de São Bonifácio ou Guerra da Ponte aconteceu em Marabá, quando garimpeiros interditaram a Ponte sobre o Rio Tocantins usada pela Vale para escoar o minério de ferro até São Luiz-MA.  O então governador Hélio Gueiros mandou desobstruir a ponte e quinhentos soldados do 4º batalhão da Polícia Militar do Pará encurralaram os garimpeiros e avançaram por uma das cabeceiras da ponte, atirando na multidão, enquanto o Exército fechava o acesso na outra cabeceira. Há relatos de que os policiais atiraram durante 15 minutos com metralhadoras e fuzis. Muitos garimpeiros se jogaram do vão de 76 metros da ponte. Dezenas de garimpeiros foram feridos e/ou mortos.
Em 1992, Fernando Collor, presidente do Brasil, decretou o fechamento definitivo do garimpo e devolveu o direito de lavra para a então Cia Vale do Rio Doce, hoje Mineradora Vale, não há notícias de que a Vale devolvera o pagamento recebido pela indenização em 1984.
De forma oficial, cerca de quarenta toneladas de ouro foram extraídas em Serra Pelada.
Mesmo com o fechamento do garimpo cerca de seis mil pessoas teimaram em aguardar a reabertura do mesmo na Vila de Serra Pelada. Entre uma migalha de ouro e outra resgatada das montoeiras deixadas pela garimpo, tais garimpeiros foram sobrevivendo. No dia 11 de setembro de 2002, o Senado Federal aprovou a devolução aos garimpeiros o direito de lavra de 100 hectares — parte dos 10 mil hectares em mãos da Companhia Vale do Rio Verde. Em 2007 o Ministério das Minas e Energia negociou com a mineradora que cedeu 700 hectares da área à Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp) para exploração mineral.


Clique para ver o Projeto Virtual de Serra Pela produzido pela SPCDM
De posse da área, a direção da Coomigasp foi em busca de um parceiro que viabilizasse a lavra. Nesse sentido foi criada, sob o aval do então ministro das Minas e Energia, Edson Lobão, a SPCDM – Serra Pelada Companhia de Desenvolvimento Mineral, resultado da sociedade e entre a Colossus Mineração Ltda, empresa multinacional do grupo canadense Colossus Minerals Inc., e a Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp).
No início, essa parceria previa a divisão dos investimentos e dos lucros na ordem de 51% para a Colossus e 49% para a Coomigasp. Posteriormente, em Assembleia Geral promovida pela Coomigasp, foi aprovado novo um contrato onde a Colossus faria todo o investimento necessário para que se chegasse a produção do ouro e em troca a Cooperativa cederia mais 24% do projeto para a mineradora, ficando com 25% do ouro produzido. A parte que caberia à Coomigasp seria distribuída aos garimpeiros devidamente cadastrados e regulares.
Paralelamente ao início do projeto, a diretoria da Coomigasp vinha recebendo recursos mensais da Colossus para sua manutenção. Ninguém da Colossus ou da Coomigasp sabe dizer se tais recursos estavam previstos no contrato inicial e se a somatória deles serão descontados dos valores a serem repassados à Coomigasp quando o projeto estiver em fase de produção.

O temor que Luis Fernando desperta na oposição…

http://www.marcoaureliodeca.com.br/wp-content/uploads/2013/01/luisfernando.jpg
Luis Fernando tem preparo e experiência administrativa
A oposição que gravita em torno do chefão comunista Flávio Dino jamais imaginou que o secretário Luis Fernando Silva (PMDB) pudesse entrar o ano eleitoral de 2014 como candidato consolidado ao Governo do Estado.
O peemedebista tem hoje mais de 20% de média de intenções de voto no estado, e já a ameaça a liderança de Dino até nos dois principais redutos oposicionistas – São Luís e Imperatriz.
Isso tem levado ao desespero os satélites que gravitam em torno do chefão e sua claque na imprensa, que vêem agora uma eleição que julgavam ganha correr riscos iminentes à medida que se aproxima o pleito.
Por isso a ordem é desqualificar  Luis Fernando.
Se não podem fazê-lo baseado no seu perfil – já que o histórico de ex-prefeito com excelente aprovação, gestor público correto e honesto, sem manchas no currículo os impede – o fazem tentando minimizar sua candidatura.
Tudo por que Flávio Dino se arrepia diante da possibilidade de enfrentar o peemedebista olho no olho, cara a cara, durante a campanha que se avizinha.
Flávio Dino torceu até o último momento para que o candidato da governadora Roseana Sarney (PMDB) fosse outro. Seria mais fácil o debate, já que o comunista poderia se apresentar como o novo, a mudança, diante de um candidato tradicional, já conhecido pela forte ligação com o que a oposição chama de Oligarquia.
Mas Dino deu com os burros n’água.
E terá que enfrentar um candidato mais preparado que ele, mais competente que ele, mais  honesto que ele e , principalmente, já testado como gestor público e aprovado pela população, coisa que ele nunca foi.
http://www.blogdojorgearagao.com.br/wp-content/uploads/2013/08/LUISFERNANDONOVA.jpg
Luis Fernando já foi testado como gestor; e aprovado
Além disso, Luis Fernando traz consigo a mesma marca da mudança, da renovação, mas com o acréscimo da experiência testada e aprovada.
E é isso que causa o terror no chefe comunista e sua claque, que vêem a diferença entre um e outro cair drasticamente à medida que a população vai se dando conta de quem é quem.
Não há mais como diminuir a candidatura de Luis Fernando; não há mais como impedi-lo de ser candidato.
Flávio Dino terá que enfrentá-lo no debate eleitoral, trema ou não diante desta possibilidade.
E criar factóides para tentar tirar  Luis Fernando do páreo só mostrará o tamanho do terror oposicionista.
É simples assim…

Chiquinho Escórcio consegue a liberação dos recursos para a construção do Mercado de Peixe de Imperatriz

Após intensa articulação do deputado federal Chiquinho Escórcio (PMDB/MA), junto ao Ministério da Pesca, o ministro Marcelo Crivella, emitiu Ordem de Pagamento em favor da Prefeitura Municipal de Imperatriz, referente a primeira parcela de R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais), de um total de R$ 2.112.000,00 (dois milhões, cento e doze mil reais) para a construção do Mercado de Peixe daquela cidade.

A localização de Imperatriz faz com que a cidade seja beneficiada com importantes aportes de pescado de água doce, o que é muito interessante para os produtores. A produção pesqueira se constitui na principal atividade econômica do município, que desde a sua criação, desenvolveu um papel importante para sua economia, tanto no aspecto de produção para subsistência como para alternativas de geração de emprego e renda.

A construção do Mercado de Peixe, no bairro Beira Rio, implementará infraestruturas de recepção, distribuição e comercialização do pescado, promovendo a agregação de valor e a qualidade dos produtos aquícolas e pesqueiros nacionais. A construção e aquisição de equipamentos e material permanente, bem como da aquisição de caminhão refrigerado para estruturação do transporte e comercialização do pescado, propiciará um salto qualitativo e quantitativo para essa importante atividade econômica na região.

“Com o depósito dessa primeira parcela, a prefeitura terá todas as condições de iniciar as obras de construção do Mercado. A população de Imperatriz sonha há 15 anos com essa importante obra que irá impulsionar a economia do município. Estamos desenterrando essa caveira de burro”, comemorou Chiquinho. 

Saiba quais os 10 fatos que colocaram o Brasil nas manchetes internacionais em 2013




Em 2013, o país ganhou destaque no noticiário com os inesperados protestos de junho e por estar no centro do escândalo internacional de espionagem.
BBC Brasil fez uma lista de dez temas que puseram o país em evidência neste ano. Confira e relembre os fatos.
1. Incêndio em Santa Maria
O Brasil acordou mais triste no domingo 27 de janeiro.
Dezenas de bombeiros ainda trabalhavam no resgate de vítimas do incêndio na boate Kiss em Santa Maria, no centro do Rio Grande do Sul.
A tragédia deixou, ao fim, 247 mortos e mais de cem feridos. A investigação mostrou que o incêndio teve início com o uso de fogos pirotécnicos por parte da banda Gurizada Fandangueira. Os integrantes do grupo e os donos da boate foram indiciados por homicídio doloso.
A investigação mostrou ainda que havia superlotação no local e uma série de irregularidades. A espuma acústica, por exemplo, era feita de material tóxico – a fumaça foi uma das causas das mortes.
A morte de mais de 200 jovens, a maioria universitários, causou comoção nacional e motivou uma discussão sobre a segurança nas boates do país.
Mais tarde, a investigação também apontou responsabilidade dos bombeiros e das autoridades, que não haviam feito as vistorias necessárias no local.
2. Estupro de turista no RJ
A pouco mais de um ano da Copa do Mundo, o estupro de uma turista americana de 21 anos no Rio de Janeiro em março deste ano colocou em evidência o estado de insegurança nas cidades brasileiras.
A turista foi estuprada oito vezes, por diferentes homens, na frente do namorado francês. O crime aconteceu após o casal tomar uma van que atuava no transporte público em Copacabana.
O casal passou seis horas em poder dos estupradores e foi deixado em São Gonçalo, na região metropolitana, antes de os criminosos forçarem a vítima a tentar fazer um saque em um caixa eletrônico.
O fato de o estupro ocorrer em uma van, com películas de insulfilm, que bloqueava a visão dos que estavam fora, fez lembrar o caso da jovem indiana violentada em um veículo de transporte público. O caso causou comoção internacional e manchou a imagem da Índia.
As autoridades se apressaram em resolver o caso. Os acusados foram rapidamente localizados. Em agosto, a Justiça condenou três homens por envolvimento no caso.
3. Seleção brasileira recupera imagem
A Seleção Brasileira começou 2013 desacreditada. O time do país sede da Copa do Mundo acumulava maus resultados e atuações ruins, mesmo tendo alguns dos melhores nomes do futebol mundial, como Neymar.
O comando do time havia sido trocado de surpresa, em novembro de 2012. No lugar de Mano Menezes, assumiu Luiz Felipe Scolari.
Mesmo sob o comando de Felipão, que havia liderado a conquista do pentacampeonato mundial em 2002, a seleção ainda não convencia os torcedores.
A apreensão continuou até o início da Copa das Confederações, espécie de ‘ensaio’ antes do Mundial.
As boas atuações dentro de campo foram empolgando aos poucos os torcedores. Em meio aos protestos de junho, o tom nacionalista das manifestações acabou sentido nos estádios. Em todos os jogos, o momento do Hino Nacional se tornou um momento de júblio da torcida.
Ao final, a seleção venceu a favorita, a Espanha, atual campeã mundial. A vitória por 3 a 0 parece ter finalmente convencido os torcedores e recolocado o Brasil na lista dos favoritos para a Copa do Mundo de 2014.
4. Protestos
Em junho deste ano, um pequeno grupo de manifestantes do Movimento Passe Livre em São Paulo entrou em choque com a polícia em meio a um protesto contra o aumento do passe de ônibus de R$ 3 para R$ 3,20.
Cenas da violência e da arbitrariedade da polícia ganharam as redes sociais. O movimento, que já existia em várias cidades, começou a ganhar força com o que foi considerado abuso policial. Uma manifestação foi convocada para o dia 17 de junho em São Paulo e no Rio de Janeiro.
Nesse dia, uma multidão de mais de 100 mil pessoas saiu às ruas do Rio, de São Paulo e de várias outras cidades. O protesto foi além do aumento nas passagens e as ruas fizeram eco às mais variadas manifestações. Havia desde cartazes contra PEC-37 (projeto de lei que limitava o poder de investigação do Ministério Público) até a favor do Estado laico.
Os protestos pegaram o país de surpresa. A classe política se viu acuada e os dirigentes viram sua popularidade diluir rapidamente. Em Brasília, manifestantes chegaram a ocupar o teto do Congresso Nacional.
Autoridades do Rio, de São Paulo e outras cidades cederam aos protestos e baixaram o preço das passagens. A opinião pública, resistente aos protestos inicialmente, passou a apoiar as manifestações. A polícia baixou o tom repressivo. Protestos tornaram-se cotidianos por quase dois meses.
Ao longo das semanas, o debate político se acirrou nas ruas. Houve registro de brigas entre grupos opostos. Os protestos também ganharam a presença dos Black Blocs, grupo de mascarados de inspiração anarquista, que passaram a promover quebradeira de agências bancárias. Os protestos acabaram ofuscando a Copa das Confederações.
5. Espionagem
Em junho deste ano, um ex-colaborador da NSA (Agência Nacional de Segurança) de apenas 29 anos criou um imbróglio diplomático para o governo dos Estados Unidos.
Edward Snowden revelou um grande esquema de espionagem no qual agências de inteligência estariam monitorando secretamente milhões de telefonemas, e-mails e outras mensagens de cidadãos americanos e de vários países.
Snowden vazou as informações a partir de Hong Kong ao jornalista americano Glen Greenwald, que vive no Rio de Janeiro. O ex-colaborador da NSA passou a ser buscado pelos Estados Unidos e acabou na Rússia, onde ganhou asilo temporário.
Os vazamentos mostraram que, além de cidadãos comuns, dezenas de chefes de Estado também eram monitorados, entre eles a presidente Dilma Rousseff.
Na esteira do escândalo, Dilma cancelou a visita de Estado que faria a Washington, sobretudo após revelações de que a Petrobrás também teria sido alvo.
Dilma criticou fortemente a espionagem na Assembleia Geral da ONU, em setembro. Em seguida, os vazamentos mostraram que a chanceler alemã, Angela Merkel, teve o próprio celular grampeado.
Merkel reagiu. Brasil e Alemanha apresentaram uma resolução contra a espionagem na ONU. Snowden continua asilado na Rússia e chegou a escrever uma ‘carta ao povo brasileiro’, que levantou especulações sobre um pedido de asilo ao Brasil. Em dezembro, um juiz federal considerou o sistema de espionagem ilegal.
6. Leilão de Libra
Ainda sob o calor das manifestações, o leilão do Campo de libra, o primeiro sob o novo modelo de partilha, se deu sob tensão.
O governo convocou o Exército para fazer a segurança do hotel na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Na imprensa internacional, a imagem de soldados montando guarda junto a banhistas na praia ilustrou o leilão de uma das maiores reservas petrolíferas do mundo.
Ao fim, apenas um consórcio apresentou proposta, para a decepção de muitos analistas. O grupo formado pela Petrobrás, a anglo-holandesa Shell, a francesa Total e as chinesas CNPC e CNOOC arrematou o campo.
O consórcio também deu o lance mínimo de R$ 15 bilhões, mais mais 41,65% do petróleo produzido após descontados os custos de produção (o chamado lucro-óleo).
A expectativa é que o Campo de Libra produza 1,4 milhão de barris de petróleo por dia, no seu pico de produção.
O governo comemorou o resultado, mas muitos analistas não tiveram uma opinião tão positiva. A imprensa internacional também teve opinião díspar sobre o leilão.
A revista alemã Der Spiegel disse que o Brasil leiloou um ‘tesouro por uma pechincha’. Já o Wall Stret Journal afirmou que o país deu um passo rumo ao patamar das grandes nações produtoras de petróleo.
7. O tombo de Eike Batista
Ele era o garoto propaganda do crescimento econômico do Brasil. Com uma fortuna estimada em US$ 30 bilhões, o empresário Eike Batista foi apontado em 2012 como o sétimo homem mais rico do planeta pela revista Forbes. Mas para ele era pouco – Eike disse que em breve estaria no topo da lista.
A ânsia bilionária de Eike, no entanto, não resistiu à desconfiança do mercado. A baixa lucratividade de suas cinco empresas, a MMX (mineração), MPX (energia), OGX (petróleo), LLX (logística) e a OSX (petróleo) fizeram a fortuna de Eike ruir. A dívida das empresas e da holding seria de cerca de US$ 28 bilhões.
Em novembro, a OGX entrou com um pedido de recuperação judicial. Eike agora corre contra o tempo para equilibrar as contas da empresa. Se não conseguir, em breve poderá ver a falência da OGX.
Mais que um império empresarial, a derrocada de Eike também pode fazer ruir projetos audaciosos do empresário carioca. Já não se sabe qual será o destino do Porto de Açu, um imenso complexo no litoral norte do Rio de Janeiro.

Eike havia apadrinhado vários projetos na cidade. Mas a crise que assolou os negócios do empresário fez Eike cancelar os investimentos nas UPPs cariocas e colocar à venda o emblemático Hotel Glória, sob restauro.
8. A oposição se realinha no Brasil
Durante as manifestações de junho, a presidente Dilma Rousseff viu sua alta popularidade encolher em questão de dias. Se até então a presidente parecia ter pela frente uma reeleição garantida com facilidade, o turbilhão político fez Dilma se deparar com um cenário eleitoral improvável.
O cenário ganhou tons ainda mais surpreendentes em outubro deste ano, com o anúncio da aliança entre Marina Silva e Eduardo Campos, dois ex-ministros do governo petista.
Marina, ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula, já havia saído a grande novidade das eleições em 2010, quando ficou em terceiro lugar com mais de 20 milhões de votos, então pelo Partido Verde. Após desentendimentos, Marina deixou o PV e passou a militar pela criação da Rede Sustentabilidade, um novo partido.
A Rede não conseguiu validar o número mínimo de assinaturas para se efetivar como partido e teve sua criação barrada. Em uma jogada inesperada, Marina anunciou em outubro sua filiação ao Partido Socialista Brasileiro, o PSB, do governador pernambucano Eduardo Campos.
Campos também almeja chegar ao Planalto. Ainda não se sabe qual dois dois estará na cabeça da chapa, que pode desbancar o PSDB como primeira opção da oposição no país.
Enquanto Marina e Campos anunciavam o noivado improvável, o líder do PSDB, Aécio Neves, ainda tentava impor sua candidatura sobre José Serra, que não dava mostras de desistir da corrida à Presidência, apesar de ter amargado duas derrotas. Serra anunciou na última semana apoio a Aécio. Mas embora a oposição tenha já posto o batalhão na rua, Dilma recuperou parte da popularidade, com pesquisas apontando para seu favoritismo em 2014.
9. A economia patina
Após virar o queridinho da imprensa internacional, que não cansava de elogiar o vigor da economia, o Brasil virou alvo de desconfiança dos mercados em 2013.
Em setembro, a revista britânica The Economist colocou na capa a frustação com a economia brasileira. O Cristo Redentor, que anos antes aparecia decolando em outra capa da revista, desta vez aparecia desgovernado, prestes a se chocar com o solo.
Após o PIBinho de 2012, quando o país cresceu apenas 0,9%, a promessa do governo era a de que o país teria um resultado mais vigoroso neste ano.
Ao longo dos meses, no entanto, a economia deu sinais pouco promissores e as expectativas foram diminuindo. Em dezembro, a pesquisa Focus do Banco Central, que avalia a opinião de fontes do mercado, disse que o país não deve crescer mais que 2,3% – resultado que não é uma tragédia, mas que está longe dos 7,5% de 2010.
Além da desaceleração, o governo viu picos de elevação da inflação, que ao fim deve fechar dentro do teto meta de 6,5% em 2013. Também houve ao descompasso das contas públicas, com excesso de gastos do governo e a expectativa de que o Brasil não cumpra a meta do superávit primário deste ano.
Apesar dos números pouco promissores, o desemprego chegou ao nível mais baixo da história. Em dezembro, o índice de desocupação era de apenas 4,6%.
Para muitos economistas, a economia deve voltar a ganhar fôlego em dois ou três anos, quando se fizer sentir o efeito das privatizações de aeroportos, estradas e ferrovias, feitos pela presidente Dilma Rousseff.
10. A Copa, sempre a Copa
Em menos de uma semana, no dia 31 de dezembro, todos os 12 estádios para a Copa do Mundo deveriam estar prontos. A expectativa é que apenas metade deles, no entanto, cumpra o prazo.
A contagem seria diferente se em novembro a grua que levantava a última parte do teto da Arena São Paulo não tivesse caído e matado dois operários. Mais de 90% do estádio estava pronto.
As duas mortes na arena que vai receber o jogo de abertura da Copa trouxe à tona, mais uma vez, o atraso nas obras e a correria para deixar tudo pronto.
Em dezembro, foi a vez de Manaus registrar outro incidente fatal. Um operário despencou e perdeu a vida, após um cabo se romper. No mesmo dia, outro operário morreu, vítima de ataque cardíaco, nas obras de um centro de convenções ligado à Copa.
Familiares e operários culparam a correria pelas mortes. A Justiça chegou a paralizar as obras e trabalhadores entraram em greve. Ao todo, sete operários perderam a vida nos canteiros de obra.
A expectativa, agora, é que até abril todos os estádios estejam prontos. Sob a marcação cerrada da imprensa internacional, o Brasil se apressa em deixar tudo preparado para a Copa.
Além das obras nos estádios, o governo tenta ainda driblar eventuais problemas nos aeroportos e a escalada dos preços dos hotéis, que já anunciam diárias exorbitantes para os dias do Mundial.
Da BBC