Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Deputado Fábio Braga participa da instalação da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa

Falar da pequena e micro empresa é falar de nós próprios; do homem da padaria, da farmácia, da loja de sapato, do marceneiro, da lanchonete da esquina ou do boteco preferido, porque esses negócios são a cara da gente e desempenham um papel fundamental na economia da rua, do bairro, da cidade e do país.

Por causa do tamanho e informalidade, são rápidas e flexíveis e dão uma cadência toda especial ao mercado, o que se traduz em vantagens sociais e econômicas significativas para o país como um todo.

Outra façanha delas é que atuam em todos os setores da atividade, dando um “fôlego” extra para a economia nacional, porque representam o sustento de milhões de famílias brasileiras, já que são a porta de entrada dos jovens no mercado de trabalho e também a alternativa de emprego e renda para muitos que já passaram dos 40 anos.

Entretanto, por fazerem parte de um ambiente de negócios imprevisível e competitivo, têm uma vida útil curta, determinada por causas como dificuldade de captação de recursos financeiros; carência de mão de obra qualificada; falta de planejamento; deficiência na gestão; falta de políticas públicas adequadas, dentre outras.

Em suma, alguma coisa mais objetiva precisa ser feita para consolidar de fato e de direito esse tipo de empresa no Brasil, porque, segundo o próprio SEBRAE, a importância delas aumenta a cada dia, já que respondem por mais de 50% da mão da obra formal do país, e os salários pagos chegam a mais de 40% da massa salarial brasileira, o que não é pouco.

Outro fato que obriga o país fazer alguma coisa mais concreta em beneficio delas é que ainda segundo o SEBRAE, o crescimento das micro e pequenas empresas na última década foi motivado por um melhor ambiente de negócios, como a criação dos Supersimples, por exemplo, que reduziu e unificou impostos para os pequenos negócios, ou, como o aumento da escolaridade do brasileiro, ou ainda, como o incremento do mercado consumidor e da classe média, ou seja, as pessoas passaram a abrir pequenos negócios por acreditar no empreendedorismo e não apenas por falta de emprego formal, como antigamente.

É essa realidade que se impõe pais afora e que chegou a semana passada ao Maranhão, trazida pela Frente Parlamentar Mista da Micro e Pequena Empresa, que é hoje, a maior Frente do Congresso Nacional, com 387 deputados e 33 senadores, e que aqui no Estado, aterrissou pelo esforço do deputado Adriano Sarney, do Partido Verde.

O presidente da Frente nacional, deputado federal Jorginho Mello, presente ao evento, disse tratar-se de um projeto nacional que avança a cada dia e que aqui no Maranhão já envolve, além da própria Assembleia Legislativa, diversas outras entidades do setor empresarial como o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Maranhão – Sebrae/MA, a Associação Comercial do Maranhão – ACM; a Federação das Indústrias – Fiema; representantes do Banco do Brasil; o Conselho Regional de Contabilidade; o Clube de Diretores Lojistas dentre outros.

Na sequência do trabalho, esses agentes realizarão seminários e reuniões em diversas regiões do Estado, com órgãos públicos e privados, de âmbito estadual e nacional, para fomentar ações em prol do empreendedorismo.

Também presente ao ato de lançamento, o deputado Fábio Braga – SD, falou da importância de uma iniciativa dessa natureza que é suprapartidária e que juntava os setores público e privado em prol de uma causa que vinha avançando no Brasil, especialmente num momento de crise, como este em que vivemos, e que carecia de um maior apoio para consolidar seu crescimento – assinalou.

Para ele “é sempre muito difícil o comerciante da zona rural e de municípios mais distantes da capital enfrentar um gerente de banco, porque ele se imagina um perdedor diante da instituição, achando que o gerente é o próprio dono, tal e a distância que lhes separa e isso precisa acabar” – alertou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário