Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Fim da era do Leão dos Cocais: Com direitos cassados, resta a Soliney Silva lamentar a perda de seu domínio político

Quem diria que um dia o filho de um bem sucedido empresário no tradicional seguimento do transporte piauiense se tornaria um gigante da política maranhense, e que um dia, esse gigante seria desbancado por um simples ex-vendedor de picolé... 

A vergonhosa derrota de Soliney Silva, de 10 votos a 02, por sua cassação, o fez repensar onde foram os erros cometidos durante sua trajetória. As apostas feitas em pessoas erradas foi, indiscutivelmente, seu fiasco, sendo a palavra “traição” uma constante em seu percurso. 

Com jogo de cintura, muito gracejo e dono de um carisma sem igual, o ex-deputado, ex-prefeito, ex-líder político, conseguiu construir um grupo de defensores militantes apaixonados por sua causa, manteve muitos aprisionados em suas teias do poder. 

Um histórico político repleto de polêmicas e muitas conquistas, Soliney, atingiu altos patamares na sua vida pública, principalmente quando se tornou coordenador, por um período nebuloso, dos prefeitos das cidade de Afonso Cunha, Duque Bacelar, Coelho Neto, Buriti e grande influência em Timon, deu-lhe significativa notoriedade na região leste do Maranhão, a ponto de ganhar o título de “Leão do Cocais”

Soliney, terá um futuro incerto em sua vida pública, deixará de ser candidato e será simples cabo eleitoral. Resta a ele apenas ver com muito lamento, escorregar entre seus dedos o mandato certo de deputado estadual.

Embora, Américo, tenha sido eleito para o seu primeiro mandato de vereador, no palanque de Soliney, não levou em consideração esse pequeno detalhe e capitaneou uma famosa caça às bruxas, conduzindo o direcionamento da Câmara para elimina-lo de vez da política. 

Com tal acontecido, o prefeito, Américo de Sousa (PT), demostra sua força e astúcia perseguidora, comprovando o expressivo domínio de econômicos gastos, ao ter com total submissão uma câmara sem identidade própria.

Possivelmente, Soliney Silva, tentará repassar seu patrimônio político para um de seus herdeiros, haja visto, não confiar em mais ninguém.


Aquele que com ferro fere, com ele será ferido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário