Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM!

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM!

segunda-feira, 23 de julho de 2018

LIDERANÇAS POLÍTICAS LOCAIS E REGIONAIS SE UNEM À COMUNIDADE PARA SALVAR A APAE DE COELHO NETO (MA).




Na tarde de sábado, (21), a sede da entidade foi palco de exuberante gentileza, solidariedade e emoção.

O convidado de honra foi o prefeito de Caxias Fábio Gentil/PRB, que chegou acompanhado da sua esposa Letícia Gentil, do seu pai José Gentil que também é pré-candidato a deputado estadual pelo PRB e comitiva.

A caravana Gentil foi recebida pela elite da política local na pessoa da ex-prefeita daquele município Márcia Bacelar, do seu esposo e ex-deputado Antônio Bacelar, do ex-vereador Edvaldo Alves da Silva (Val), do suplente de deputado estadual Raimundo Silva e do vereador Moabe Branco, os quais compareceram ladeados dos seus principais aliados e correligionários.

Lá dentro, um público atento e esperançoso aguardava os convidados desde às 2 da tarde.


A participação dessas personalidades políticas em favor da APAE se deu a partir do conhecimento público de que a entidade, segundo seus diretores, estaria sofrendo terrível perseguição política, arquitetada pela gestão do petista Américo de Sousa.

A presidenta da entidade, senhora Maria dos Rogais deu as boas-vindas ao público e convidados, gesto que foi seguido por todos os oradores.

A fundadora da APAE, Marlene Coelho, que também foi vereadora de Coelho Neto por seis mandatos consecutivos, num discurso em que externou uma série de sentimentos, foi taxativa ao reafirmar que os excepcionais estariam sofrendo dura perseguição pela prefeitura, deflagrando, inclusive, um movimento para esvaziar a reunião. “Mandaram funcionários de casa em casa, convidando a população para um centro de apoio que foi fundado há poucos dias, com o propósito de fechar a APAE de Coelho Neto. Isso é perseguição política, meu povo! ”, disse.


Ela citou o prefeito de Caxias Fábio Gentil como um potencial colaborador, o qual, solidário à entidade, decidira se associar à luta em favor do seu funcionamento. 

Marlene, informou que foi Fábio Gentil quem pagou a conta de energia e os profissionais da APAE. “Eu só tenho uma forma de reconhecer e agradecer o que esse grande homem está fazendo pelos excepcionais. “A porta que Deus abre, homem nenhum fecha”, concluiu.


Outro destaque foi o discurso do ex-vereador Edvaldo Alves, o Val. Inicialmente, relembrou sua entrada para a política, tempo em que conheceu a então vereadora Márcia Bacelar. 

Conforme explicou, Márcia nem sonhava em ser prefeita de Coelho Neto. E foi o grupo que apoiava os Bacelar tradicionais, do qual ele era integrante, que a incentivou. O resultado, segundo ele, foi uma administração brilhante e realizadora. “Depois de tanto trabalho, nos envergonha o caos instalado atualmente em nosso meio: a perseguição, o chicote e a incompetência”, externou.


Emocionado, Val acrescentou que a partir do reconhecimento da atual realidade do município procurou Fábio Gentil. “Foi, com muita cautela, calma e paciência que consegui chegar ao Fábio Gentil, uma pessoa que já ajuda Coelho Neto através do sistema de saúde do seu município. É lá, em Caxias, que encontramos auxílio, que nos socorremos, que temos atenção e respeito quando precisamos de assistência médico-hospitalar. E, agora, o Fábio, num gesto que somente os homens abençoados por Deus podem ter, estende a sua solidariedade à APAE”, disse.

O vereador de Coelho Neto Moabe Branco, repudiou a suposta perseguição que a APAE estaria sofrendo por parte da gestão petista. "Estou na Câmara para defender os interesses da comunidade coelhonetense. E esse tipo de comportamento não é digno de uma gestão que se diz séria". Na Câmara vamos combater isso", assegurou. 


“O que me preocupa é que lutamos muito para chegar ao ponto em que nós chegamos. Sabemos que as obras serão eternizadas em função do seu benefício social, mas o que verificamos em nosso município foi o desejo, o manifesto de fechar a APAE”. Isto foi o que disse ex-deputado Antônio Bacelar ao se reportar sobre o motivo da reunião. “Fico muito preocupado quando um governante não procura conservar as obras que foram construídas com recursos do povo”, acrescentou.



A ex-prefeita Márcia Bacelar falou da sua satisfação em estar revendo amigos. Ela reconheceu o que chamou de “boa vontade” do Val, Raimundo Silva e seus amigos em se aproximarem da fundadora da APAE Marlene Coelho com o propósito solidário. “Eu também tenho-me colocado à disposição, porque entendo que pode até existir uma outra instituição, mas não se deve fechar as portas de uma outra que faz tanto bem ao povo, especialmente aos que mais precisam de saúde”, enfatizou.

Ela explicou que para estar ali, primeiro teve que ir a Caxias juntamente com seu esposo. Destacou que Caxias é uma cidade bem cuidada. “Quando entrei na prefeitura, percebi que ali tinha uma administração justa e com vontade de servir ao povo”, elogiou.


Demonstrando disposição para a ir à luta e bastante carismática, ela enalteceu a pessoa de Fábio e José Gentil, para depois reafirmar seu engajamento na luta pela APAE. 


José Gentil lamentou a situação da APAE de Coelho Neto e também se prontificou à luta em prol da entidade. “Lamento muito que alguns governantes não saibam deixar a sua passagem pelo poder com bons propósitos, sem maltratar ninguém”, disse.


O discurso mais esperado foi o do prefeito Fábio Gentil. Ele desmentiu a publicação de um blog da prefeitura de Coelho Neto. “A gente ajuda com ônibus e com toda estrutura, pois sabemos que quem procura a APAE é porque precisa da instituição. Faço isto não porque seja bom, mas, porque, na função de prefeito, eu tenho que respeitar a vontade e a necessidade do povo de Caxias", afirmou. 

Ele informou que quando a ex-vereadora Marlene chegou a sua casa, com simplicidade e demonstrando ser uma mulher combatente, foi surpreendido ao vê-la pedir, não para si, mas para a APAE de C. Neto. "Eu disse para mim mesmo: a prefeitura de Caxias não pode atuar dentro da cidade de Coelho Neto, mas eu, como ser humano, posso e vou ajudar”, disse.

Fábio ainda renovou o compromisso com a APAE: “O dinheiro da prefeitura não pode ser aplicado em Coelho Neto, mas do meu salário eu faço o que bem quiser e parte dele será destinada a esta APAE”, prometeu.



Com as informações do Blog do Milton Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário