GPI - Provedor

GPI - Provedor

Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM!

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM!

COLABORADORES

COLABORADORES

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Uma verdade: o fim de um mito.

O relato feito pelo o evangelista Sebastião (foto) sobre sua trajetória em Coelho Neto o pastor fundador do campo, derrubou um mito que há 50 anos servia de mote eleitoral em palanques dos adversários da Família Bacelar.

Por ocasião da festa do Jubileu de Ouro, da Assembléia de DEUS em Coelho Neto, Sebastião da Silva, enquanto fazia relatos recheados de detalhes, de sua estada em nossa terra, de 1961 a 1963, fez questão de ressaltar e explicar o que lhe aconteceu quando foi espancado no Ipapirema, enquanto dirigia um culto.

“Em alto e bom som, o evangelista Sebastião disse:” o caso que me aconteceu aqui em Coelho Neto sobre a pisa que levei com outros irmãos foi um caso isolado do Dr. José Bacelar, que não teve apoio de nem um dos irmãos. Antonio Bacelar que morava aqui repudiou veementemente. O deputado Magno Bacelar, também deu uma repreensão grande, em Dr. José Bacelar. A família Bacelar era muito amiga do evangelho. Ajudaram-me bastante. Uma ação de Dr. José dentro da ignorância, não pode responsabilizar por isso, toda a Família. Até ele, depois tornou um grande amigo meu. “Perdoei Dr. José de Coração,” garante o evangelista Sebastião.

A declaração do líder religioso repercutiu de forma grandiosa e trouxe certo alivio aos que admiram a família Bacelar por serem os construtores do progresso de nossa terra, mas tinham preso na garganta, essa atitude até então de todos eles nada animadora contra o evangelho.

Com a verdade átona, os adversários dos Bacelar agora têm que procurar outros argumentos porque ficou mais do que provado de que tudo que os membros da Família já fizeram em prol do evangelho, é por admirar e ser amigo dos crentes, e não para amenizar o que eles fizeram no passado porque não foram eles, mas sim, ele, o seu José Bacelar, sem o apoio dos demais.

Ninguém tem nem um sentimento de revolta por isso. Cristo nos ensinou perdoar a todos. Só estamos abordando este assunto, para o bem da verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário