Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM!

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM!

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Dois deputados estaduais e um federal podem perder o mandato para os suplentes

Edivaldo e Luiz Henrique podem entrar;
Pastor Cavalcante e Ricardo Rios risco de sair.
Edivaldo Holanda e Luiz Henrique podem entrar na lista dos eleitos, neste caso, Pastor Cavalcante e Ricardo Rios ficam de fora. Em outra situação, Juscelino Filho pode sair e Wolmer Araújo entrar.

Apesar da eleição ter terminado, o resultado dela parece que ainda pode ter desdobramentos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Diversos candidatos que tiveram o registro de candidaturas impugnadas, esperam o julgamento de seus recursos e, dependendo do resultado, pode haver duas mudanças entre os deputados estaduais eleitos e mais uma alteração entre os deputados federais.

Caso os mais de 30 votos do inelegível Hemetério Weba (PP) sejam validados, o chapão ganha mais uma vaga, que hoje seria do primeiro suplente Edivaldo Holanda (PTC). E quem deixaria de ser efetivo seria o Pastor Cavalcante (Pros), de outra coligação.

Em outra situação, se os 1.780 votos de Sayd Zaidan (PT) forem computados pela Justiça Eleitoral, o partido de Lula ganha a segunda vaga na Assembleia Legislativa, à vista disso, o sortudo seria o primeiro suplente Luiz Henrique. Nesta situação, voltaria para a primeira suplência Edivaldo Holanda, ou dependendo do julgamento de Hemetério, Ricardo Rios (PDT) perderia a titularidade.
Apesar do risco pequeno, Wolmer pode entrar na vaga de Juscelino…
Já na Câmara Federal, o deputado reeleito Juscelino Filho (DEM) poderá ir para a primeira suplência caso os mais de 23 mil votos do ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad (PRP) sejam validados.

Assim sendo, a coligação dos aliados da ex-governadora Roseana elegeria o quatro nome, que seria de Wolmer Araújo (PV).

Este último caso, é o mais improvável acontecer, dado os gigantesco problemas jurídicos de Murad.


Nenhum comentário:

Postar um comentário