Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

sábado, 26 de abril de 2014

‘Estamos diante de uma nova Pasadena’, diz Carlos Brandão sobre refinaria

Paralisação de obras e denúncias de superfaturamento são os principais motivos que levaram os deputados federais Carlos Brandão (PSDB/MA) e Simplício Araújo (Solidariedade/MA) à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) em busca de esclarecimentos sobre a Refinaria Premium I.
Os parlamentares tiveram aprovado, este mês, um requerimento que solicita uma comissão externa para visitar e acompanhar as obras da refinaria que estão localizadas em Bacabeira, a 60 km de São Luís, no Maranhão.
Com promessas de se tornar a maior refinaria do país, a Premium I teria a produção voltada para combustíveis de alta qualidade. Segundo a Petrobrás, em sua primeira fase, a refinaria teria capacidade de processar 300 mil barris/dia. Depois de concluídas as obras, essa capacidade duplicaria.
No entanto, a construção que foi inaugurada em 2010 pela então candidata ao governo do Maranhão, Roseana Sarney, e pelo ex-presidente Lula estão paralisadas desde 2012.
Recentemente, os governos federal e estadual anunciaram que será iniciado novo processo licitatório para recomeço das obras que haviam sido canceladas pela presidente da Petrobrás, Graça Foster, por falta de verba.
Só para a terraplanagem da área de instalação da refinaria foram gastos R$ 789 milhões a mais do que o R$ 711 milhões previstos. O valor gasto até a paralisação dos trabalhos foi de R$ 1,5 bilhão; ou seja, mais do que o dobro do previsto no contrato inicial entre a estatal e o consórcio GSF (Queiroz Galvão, Serveng e Fidens).
“As obras da refinaria foram noticiadas em tom de festa por autoridades e candidatos que prometiam a geração de 200 mil empregos. Depois de gastos cerca de 1,5 bilhão de reais só para terraplanagem, a presidente da Petrobras anunciou o fim dos trabalhos por falta de recursos. Os anos passaram e o resultado é que estamos diante de uma nova Pasadena. Dinheiro público jogado por terra mais uma vez”, argumenta o deputado Carlos Brandão.
Um documento com assinaturas solicitando a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) foi entregue pela oposição ao Supremo Tribunal Federal (STF). O intuito é investigar a administração da Petrobras a respeito do atraso das obras e das denúncias de superfaturamento. Os parlamentares ainda questionam os motivos que levaram a Petrobras, o governo federal e o governo do Maranhão a usar a refinaria como palanque político.
Do jornal pequeno 

Nenhum comentário:

Postar um comentário