Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM!

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM!

sábado, 21 de janeiro de 2017

Os mais cotados, por ora, para suceder Teori no STF

Heleno Torres, Bruno Dantas, Alexandre de Moares e Antonio Cláudio Mariz sãos os cotados
No início da madrugada de hoje, em Brasília, entre políticos e juristas com livre acesso ao presidente Michel Temer, já circulavam pelo menos quatro nomes cotados para suceder no Supremo Tribunal Federal (STF) o ministro Teori Zavaski, morto, ontem, em acidente aéreo.

Heleno Torres, advogado tributarista, que a ex-presidente Dilma Rousseff havia escolhido em abril de 2013 para a vaga de Carlos Ayres Brito. Dilma desistiu da indicação depois que a notícia vazou e que Torres se reuniu com Temer. Professor da Universidade de São Paulo, Torres é ligado ao ministro Ricardo Lewandowiski e também ao ex-prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho.

Bruno Dantas Nascimento, ministro do Tribunal de Contas da União desde 2014. É considerado um dos mais influentes processualistas do país. Foi membro do Conselho Nacional de Justiça e também do Conselho Nacional do Ministério da Justiça. Sua nomeação deixaria felizes, entre outros, Renan Calheiros, presidente do Senado, e o ex-presidente José Sarney, aos quais é ligado.

Alexandre de Moraes, atual Ministro da Justiça. Formado pela Faculdade de Direito do Largo do São Francisco, em São Paulo, é professor titular da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Sua eventual indicação para o STF, onde tem livre trânsito, resolveria o problema de Temer, pressionado para tirá-lo do Ministério da Justiça.

Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, amigo há mais de 40 anos de Temer, ex-presidente da OAB de São Paulo, ex-Secretário de Segurança Pública de São Paulo e ex-presidente do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária. Temer pensou em indicar Mariz para o Ministério da Defesa. Desistiu porque seu nome não foi bem recebido pelos militares.

Pressão para indicar Moro

Temer é pressionado a indicar Moro para o STF
Temer passou a sofrer pressão de amigos e até de alguns ministros mais próximos para pensar na possibilidade de indicar o juiz Sérgio Moro em substituição ao relator da Operação Lava Jato no STF. Ainda que não faça opção por Moro, o presidente deve caprichar na escolha, apostam seus auxiliares.

O Presidente Michel não adota decisões apressadas, tampouco quis tratar do assunto. Mas ouviu as ponderações pró-Moro com interesse. A escolha do substituto de Zavascki é fundamental: o novo ministro vai herdar a relatoria da Operação Lava Jato, no âmbito do STF.

A possibilidade do juiz federal Sérgio Moro no lugar de Teori Zavascki viralizou nas redes sociais. Praticamente uma unanimidade nacional. Amigos alegam, em mensagens a Temer, que Moro no STF mostraria a isenção do presidente em relação à Lava Jato.



Do Domingos Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário