Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Prefeitura de Aldeias Altas usou empresa para desviar R$ 2,16 milhões

208966_166926416773356_1261631831_nA Prefeitura de Aldeias Altas e a empresa Tavares Engenharia Civil Ltda simularam a execução de um contrato de prestação de serviços para desvias recursos públicos, que já chega ao montante de R$ 2.162.909,00 milhões, revelou a Controladoria-Geral da União (CGU) em seu relatório.

O documento obtido, afirma que a Tavares Engenharia foi contratada por R$1.451.358,36 milhão para proporcionar manutenção e apoio à Secretaria Municipal de Educação por meio de contratação de 348 pessoas para exercerem as atividades de apoio operacional básico, com uma jornada de oito horas diárias e quarenta semanais durante o período de três meses, no entanto o serviço não foi executado.

Segundo a CGU, no dia 2 de agosto de 2016, a Secretária de Educação de Aldeias Altas, afirmou que não tem conhecimento de funcionários terceirizados da Tavares Engenharia prestando serviços no órgão entre os anos de 2015 e 2016. Disse, ainda, que os servidores que trabalhavam na Secretaria eram efetivos e contratados, pagos diretamente pela Prefeitura, sem a intermediação de empresas.

Os auditores da União visitaram 17 escolas incluindo as três maiores em termos de alunos matriculados (U. E.Antonieta Castelo, U.E. Padre Antônio Ferrareis, e U.E. Vidigal Rodrigues Filho), e todos os funcionários falaram que não houve profissionais terceirizados/mão de obra temporária pagos por empresa terceirizada que atuaram nas escolas nos exercícios de 2015 e 2016.

Foi constatado, ainda, que a empresa contratada possui apenas 4 funcionários, número incompatível com as 348 pessoas necessárias para exercerem as atividades de apoio operacional básico na Secretaria de Educação do
município.

A Prefeitura de Aldeias Altas não apresentou processos de pagamentos feitos à Tavares Engenharia. Foram detectadas três notas fiscais que indicam que a gestão municipal efetuou pagamentos à empresa referente ao Contrato nº 32/2015, que totalizaram o valor líquido de R$ 1.097.704,86 mil. No entanto, ao analisar extratos bancários, constatou-se que repassou outros valores à Tavares.
aldeias4
“Assim, de fato, a Prefeitura Municipal de Aldeias Altas-MA efetuou pagamentos à empresa em epígrafe, entre novembro de 2015 a junho de 2016, que totalizam, descontados os impostos recolhidos, o montante de R$ 2.162.909,00”

Os pagamentos em valores superiores aos originalmente estabelecidos no Contrato nº 32/2015 ocorreram devido a um suposto aditamento do contrato em epígrafe, conforme se denota pela nota de empenho, datada de 4 de janeiro de 2016, cujo valor empenhado é de R$ 5.805.433,44 milhões.
aldeias5
“Restou comprovado que os serviços previstos no âmbito do Contrato nº 32/2015 não foram executados, outrossim, indicam um conluio entre a Prefeitura Municipal de Aldeias Altas/MA e a empresa Tavares Engenharia Civil Ltda. que simularam a execução de um contrato de prestação de serviços para desvio de recursos públicos, que já chega ao montante de R$ 2.162.909,00”, , destacou a CGU


Do Neto Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário