Buriti, Novo Tempo, Nova História!

Buriti, Novo Tempo, Nova História!

Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM!

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM!

COLABORADORES

COLABORADORES

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Erguida em décadas, estrutura de poder dos Sarney’s está sendo desmontada no MA

Oligarquia Sarney em decadência…
Desde que perdeu o comando do Palácio dos Leões para o governador Flávio Dino, em 2014, a oligarquia Sarney vem colecionando seguidas derrotas.

A última aconteceu ontem (05), quando a desembargadora Nelma Sarney foi goleada na disputa pela presidência do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA). A cunhada de Sarney e tia da ex-governadora Roseana (PMDB), sofreu derrotada para o desembargador José Joaquim.

Os sarneysista que passaram décadas sob forte influência em todos os poderes, também perderam o controle da bancada federal maranhense na Câmara, no mês de abril. Por maioria, os deputados federais do Estado escolherem Rubens Pereira Júnior (PCdoB).

Antes, em janeiro, o clã até que tentou registrar a chapa da prefeita de Rosário Irlahi Linhares para disputar a presidência da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), no entanto, foi atropelado pelo articulador prefeito de Tuntum, Cleomar Tema (PSB).

Importante ressaltar, ainda, que durante o governo Roseana Sarney, o Ministério Público do Maranhão era comandado por uma tia do deputado federal Hildo Rocha (PMDB), a ex-procurador-geral Regina Lúcia de Almeida Rocha. Em maio de 2016, o promotor Luiz Gonzaga foi nomeado como novo procurador-geral de Justiça do MP, e pôs fim à influência dos Sarney’s no MP-MA.

Sem contar que nas eleições municipais de 2016 a família Sarney foi a maior derrotada, o PCdoB de Flávio Dino fez a maioria das prefeituras maranhenses, a exemplo da Capital, somadas a outras tantas vitórias de partidos aliados entre as 217 cidades, a vantagem foi avassaladora.

E por fim, a oligarquia possui menos de dez deputados estaduais, dos 42 deputados que compõem a Assembleia Legislativa. De forma que todas essas perdas dos últimos anos são sinais inegáveis da decadência da oligarquia.

Que venha 2018…



Do Domingos Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário