Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM!

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM!

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Por que os jornais não podem falar de suicídio?

O Brasil é o quarto país latino-americano com o maior crescimento no número de suicídios entre 2000 e 2012, segundo um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS). No intervalo desses anos, foram quase 15 mil suicídios só no Brasil, e o número só cresce.

Que a quantidade de pessoas que tiram a própria vida no país é altíssima e assustadora, isso já deu pra notar. E é a partir daí que surge uma questão que intriga desde sempre quem é ligado no mundo da comunicação e da mídia: se a imprensa perceptivelmente adora noticiar tragédias e investir pesados nelas tornando-as um verdadeiro espetáculo (tais como assassinatos, estupros, e acidentes), por que nunca vemos suicídios nos noticiários?

Que eles ocorrem todos os dias, isso é fato. Mas os suicídios são tão abafados pela imprensa que a população chega a esquecer que eles existem. Pois saiba que o fato de a mídia esconder e não noticiar casos de pessoas que tiraram a própria vida (salvo em casos de personalidades famosas) não acontece por acaso.

No meio jornalístico, constata-se que tudo o que é veiculado tem um fortíssimo impacto sobre a população. A mensagem transmitida é extremamente assimilada pelos espectadores, que têm a opinião moldada a partir disso – que querendo ou não, acabam absorvendo a opinião do transmissor (no caso, o jornalista).

Mas já os suicídios são casos à parte, diferenciados. Existe um certo tipo de convenção profissional extra-oficial (quase como um código que ninguém fala sobre mas que todos sabem que existe) que determina: suicídios não devem ser noticiados.

O suicídio é posto à margem da ação jornalística por se tratar de um ato extremamente íntimo e individual. Se os suicídios começassem a ser notícia, a imprensa teria que começar a investigar a vida do falecido e expor sua vida íntima. Algo como “Ele se matou porque foi traído pela esposa”, ou “Ela tirou a própria vida por estar muito endividada”, coisa que não seria nada legal para a imagem do falecido e da família.

Mas um outro motivo, e o principal, é que a publicação massiva de notícias de suicídio (pasme) impulsiona aqueles que já possuem predisposição. Quando alguém está deprimido e começa a ver outros casos de suicídio, o mesmo passa a ter mais coragem de realizar o triste ato de dar cabo da própria existência.

Além de também estabelecer um clima de caos, noticiar suicídios frequentemente poderia até desestabilizar a sociedade! Então imagine: a mídia já colabora o exagero e a super exposição de tudo o que acontece de ruim. Os suicídios seriam a gota d’água para começar o apocalipse!
Fonte: Observatório da Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário