Mensagem da Semana

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. Apocalipse 22:12

segunda-feira, 21 de junho de 2021

Em TImon: Schnneyder confirma que é pré-candidato a deputado estadual

O ex-candidato a prefeito de Timon, Schnneyder, confirmou, no início da tarde deste sábado, 19, durante o programa Tribuna Independente do radialista Eliézio Silva na rádio Tropical FM, sua pré-candidatura a deputado estadual em 2022. Schnneyder começou a entrevista ressaltando acreditar que o grupo ao qual faz parte é a verdadeira oposição em Timon, tanto que teve mais de 34 mil votos nas últimas eleições. Com convicção, pôs em dúvida o rompimento entre o deputado estadual Rafael Leitoa e o grupo Leitoa, afirmando se tratar de uma estratégia para tentar eleger dois Leitoas e manter o grupo no poder.

“Agora eles querem eleger dois leitoas. Aí o deputado Rafael, percebendo que o grupo está em decadência, quer tirar o nome Leitoa. Ele quer ludibriar parte da oposição dizendo que é oposição em Timon. Se a população não se atentar para isso, alguns desavisados podem cair nesse conto”, destacou.

Schnneyder afirmou ainda que seu nome está à disposição da população maranhense, em especial dos timonenses para 2022 e que os membros da oposição estão em constante entendimento para buscarem o melhor caminho nas próximas eleições. Em relação à disputa ao governo do Estado o comandante reafirmou o apoio ao vice-governador Carlos Brandão, enaltecendo sua experiência e qualificação.

“É um homem limpo, tem uma experiência de gestão e será o próximo governador do Maranhão, com o nosso apoio, com o apoio da oposição aqui em Timon”, explicou.

Sobre a declaração do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, de que o senador Weverton Rocha será candidato a governador do Maranhão, independentemente do apoio do governador Flávio Dino, Schnneyder disse que entende o recado como um rompimento e que, agora, aguarda o posicionamento do governador em favor de Brandão.

Questionado sobre a gestão de Dinair Veloso à frente da prefeitura de Timon, foi taxativo ao afirmar que esse mandato é uma continuação do anterior e que, por conta da falta de controle da administração, por parte da prefeita, a cidade está desgovernada.

“O governo está tão desgovernado, tão descontrolado, que não há sincronismo nas ações. R$ 19,6 milhões chegaram aos cofres dos municípios, para combate ao covid, foram gastos e não se sabe onde. Eles brigam internamente pelo poder. O ex-prefeito foi para a TV e disse que elegeu o filho, elegeu o sobrinho e que agora precisava se eleger para se manter no poder. É o poder pelo poder”, concluiu.

Schnneyder lembrou ainda que, caso a professora Socorro Waquim tivesse entendido que a oposição deveria marchar unida, o povo teria ganho as eleições em 2020.

Finalizando, o agora pré-candidato a deputado estadual, disse que continuará sendo um soldado do povo e que sua decisão foi tomada depois de ouvir muito os timonenses.


Nenhum comentário:

Postar um comentário